/ / / / / / / / / / / / / /      Anais Digitais      / / / / / / / / / / / / / /

  Voltar para a lista
 
  Título
Revisitando o oitocentos: Camilo e Eça por lentes contemporâneas
Autor
Paulo Motta Oliveira
Resumo Expandido
É longa a tradição de adaptações de obras de Camilo Castelo Branco e Eça de Queirós para o cinema. Duas películas recentes, uma brasileira e outra portuguesa, fizeram uma opção semelhante, ao atualizar os enredos de obras canônicas desses escritores, adaptando o seu enredo para o século XX. No Brasil, Daniel Filho, já tendo dirigido em 1988 uma minisérie escrita por Gilberto Braga e Leonor Bassères com o mesmo título, realizou, em 2007, a película O primo Basílio, que traz a trama da obra homônima de Eça para o Brasil da década de 50. Já Mário Barroso, retomando uma tradição que se abriu em 1921 com Georges Pallu, e que depois dele foi continuada por António Lopes Ribeiro, em 1943, e Manoel de Oliveira, em 1978, dirigiu, em 2008, Um amor de perdição, que traz para contemporaneidade a trama do mais famoso romance de Camilo. Nossa proposta é de confrontar estas películas, verificando como cada uma dialoga com a obra em que lhe serviu de base e com algumas das adaptações dessas obras que as precederam.

Bibliografia

BELO, Maria do Rosário Leitão Lupi. Narrativa literária e narrativa fílmica – O caso de Amor de perdição. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2005.

CASTILLO, José Romera. Teatro, novela y el cine en los inicios del siglo XXI. Madrid: Visor Libros, 2008.

CLERC, Jeanne-Marie; CARCAUD-MACAIRE, Monique. L'adaptation cinématographique et littéraire. Paris: Klincksieck, 2004.

COSTA, Henrique Alves. Breve história do cinema português (1896-1962). Lisboa: Instituto Cultural Português/M.E.I.C./Secretaria de Estado de Investigação Científica, 1978.

SOUSA, Sérgio Paulo Guimarães. Relações intersemióticas entre o cinema e a literatura. Braga: Universidade do Minho, 2001.

STAM, Robert. A literatura através do cinema. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2008.