/ / / / / / / / / / / / / /      Anais Digitais      / / / / / / / / / / / / / /

  Voltar para a lista
 
  Título
Martín Sastre: Paródia e Autoficção
Autor
Marcus Mello
Resumo Expandido
Jovem sensação da arte latino-americana no circuito de museus e bienais de arte contemporânea, o videoartista uruguaio Martín Sastre ficou conhecido através de uma série de vídeos em que aparece quase sempre como protagonista e às voltas com ícones da cultura pop (Madonna, Lady Di, Britney Spears, Matthew Barney, Elizabeth Taylor), e frequentemente parodiando a linguagem dos programas populares de televisão.

Auto-referenciais ao extremo, os trabalhos de Martín Sastre apropriam-se sem qualquer censura de imagens alheias, que são ressignificadas de modo irônico e inusitado. No universo delirante criado pelo artista, a América Latina transforma-se numa superpotência mundial, Lady Di não morreu e vive numa favela nos arredores de Montevidéu, Scarlet O´Hara testemunha a queda das Torres Gêmeas e Martín Sastre é o nome do artista latino-americano mais rico e famoso do mundo, que vive na Europa, onde dirige uma fundação destinada a beneficiar seus desafortunados colegas de ofício.

Embora esteja plenamente identificado com a forte tradição política da arte latino-americana, Sastre injeta frescor a um discurso engajado e muitas vezes solene, aqui revigorado por sua adesão ao universo pop e por generosas doses de humor e deboche.

Atualmente finalizando seu primeiro longa-metragem para cinema, Miss Tacuarembó, Sastre e sua obra, saborosamente “camp”, ilustram com precisão algumas das principais questões relacionadas ao conceito de “cinema expandido”, estudado por autores como Phillipe Dubois e Dominique Païni.

Bibliografia

BENTES, Ivana & DUBOIS, Philippe (orgs.). Movimentos improváveis: o efeito cinema na arte contemporânea. Rio de Janeiro: Centro Cultural Banco do Brasil, 2003. (Catálogo de exposição).

DUBOIS, Philippe. Cinema, vídeo, Godard. São Paulo: Cosac Naify, 2004.

MACIEL, Kátia (org.). Transcinemas. Rio de Janeiro: ContraCapa, 2009.

RUSH, Michael. Novas mídias na arte contemporânea. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

SONTAG, Susan. “Notas sobre o camp”, in Contra a interpretação. Porto Alegre: L&PM Editores, 1987.

YOUNGBLOOD, Gene. Expanded cinema. New York: Dutton, 1970.