/ / / / / / / / / / / / / /      Anais Digitais      / / / / / / / / / / / / / /

  Voltar para a lista
 
  Título
Os filmes de Ozualdo Candeias dos anos 50.
Autor
Alessandro Constantino Gamo
Resumo Expandido
O diretor Ozualdo Candeias é conhecido como o ex-caminhoneiro precursor do Cinema Marginal Brasileiro, com A margem (1967), e por seu persistente trabalho filmico e fotográfico na região da Boca do Lixo de São Paulo. Sua relação com a prática cinematográfica iniciou nos anos 1950 de forma autodidata, quando adquiriu uma câmera 16mm e posteriormente, em fins dos 50, cursou por três anos o Seminário de Cinema do MASP.

Deste período inicial, era conhecido apenas o documentário Tambaú, a cidade dos milagres (1955), que Candeias realizou sobre a última pregação do padre Donizetti. Pelo reconhecimento das qualidades deste trabalho, o diretor foi incentivado a estudar cinema de forma mais sistemática. Entre a realização de Tambaú e seus documentários seguintes Polícia Feminina (1960) e Rodovias (1962), Candeias trabalhou para diversos cine-jornais (Bandeirantes da Tela, World Press, Notícias Catarinenses) como cinegrafista e muitas vezes escrevia, filmava e editava as reportagens inteiras.

Sobre este período havia pouca informação sobre os trabalhos realizados por Candeias, o que dificultava a pesquisa, a identificação e a localização dos cinejornais. Após a morte do diretor, em 2007, iniciou-se, com o apoio de sua família, uma pesquisa do acervo que o diretor mantinha em seu apartamento e na casa de filhos. Durante o levantamento do material, descobriu-se uma série de fitas VHS com cópias de filmagens realizadas por Candeias nos anos 1950. As fitas continham versões diferentes em torno do mesmo material, filmagens da família, registro de festas, de seus filhos e de viagens de caminhão. No meio de algumas fitas foi encontrado um curta-metragem ficcional que Candeias realizou entre 1954 e 1956, chamado A pensão. As cópias variavam quanto à qualidade e a duração. Foi encontrado também um pequeno documentário sobre a Campanha pelo Desarmamento, duas propagandas nas quais atuava como ator o primeiro filho de Candeias. Em 2009, foram encontradas com um colecionador de filmes de São Paulo, duas latas de filme 16mm que continham filmagens de Candeias. O material foi telecinado e descobriu-se que se tratava de parte das imagens contidas nas fitas VHS, mas novamente com algumas variações.

Esta apresentação baseia-se na análise deste material encontrado e suas variações:

No caso de filme A pensão, pode-se destacar duas características: a presença do humor – fato raro na obra de Candeias – e o uso da mímica e da troca de olhares e sinais com as mãos para expressar algo – aqui algo recorrente na obra posterior do diretor.



Na Campanha pelo Desarmamento, uma montagem com o uso de material de arquivo de histórias em quadrinhos mesclados com filmagens da campanha e imagens de crianças. Nas campanhas publicitárias a presença das crianças e humor na narração. No caso dos filmes familiares encontramos alguma diversidade de proposta: há o registro de viagens de caminhão pelo interior do Estado de São Paulo para visitar os parentes de sua primeira mulher. Registros de viagens em família – incluíndo uma visita ao Maracanã em dia de jogo. O registro da saída de sua esposa da maternidade, a chegada em casa e a recepção. Uma festa de fim de ano, com a preparação e a chegada dos convidados durante a noite.

Há dois registros com narrações feitas por Candeias: uma festa de amigos no dia de São Pedro – esta contém duas narrações diferentes uma mais debochada e outra – provavelmente para o dono da casa – mais comportada. E o registro dos primeiros meses de seu filho até o dia em que começou a andar – com uma narração muito bem humorada. È bom lembrar que já encontramos a presença da narração irônica ou debochada em Tambaú.

Um aspecto a se destacar neste material familiar é a preocupação de criar uma unidade narrativa para as filmagens, que expressa a preocupação em completar e dar sentido aos registros familiares.

Buscaremos identificar neste trabalho, alguns caminhos e propostas de Candeias nestes trabalhos de seu período de aprendizagem.

Bibliografia

CANDEIAS, Ozualdo. Uma rua chamada Triumpho. São Paulo: edção do autor, 2001.

FERREIRA, Jairo. Cinema de Invenção. São Paulo: Limiar, 2000.

GAMO, Alessandro Constantino. Aves em rumo: a transitoriedade no cinema de Ozualdo Candeias. Campinas: Dissertação de Mestrado, IA/UNICAMP, 2000.

MIRANDA, Luiz Felipe. “Ozualdo Candeias”. In Dicionário de cineastas brasileiros. São Paulo:Art editora, 1990.

PUPPO, E; ALBUQUERQUE, H. (org). Ozualdo Candeias – 80 anos. São Paulo: Centro Cultural Banco do Brasil, 2002.

RAMOS, Fernão. “Os novos rumos do cinema brasileiro (1955-1970)”. In RAMOS, Fernão (org). História do Cinema Brasileiro. São Paulo: Circulo do Livro, 1987.

RAMOS, José Mario Ortiz. Cinema, Estado e lutas culturais. (anos 50/60/70). Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

UCHÔA, Fábio Raddi. Cidade e deambulação nos filmes de Ozualdo Candeias. São Paulo: Dissertação de Mestrado, ECA-USP, 2008.