/ / / / / / / / / / / / / /      Anais Digitais      / / / / / / / / / / / / / /

  Voltar para a lista
 
  Título
A configuração sonora da imagem do desconhecido
Autor
Fabrizio Di Sarno
Resumo Expandido
Este trabalho tem como objetivo analisar as estratégias de utilização do Teremin no cinema visando a utilização deste que é o primeiro instrumento musical eletrônico como configurador da imagem sonora do desconhecido e do maligno.



O Teremin foi inventado em 1919 pelo físico russo Lev Sergeyevich Termen, conhecido pelo seu nome ocidental Léon Theremin. Em 1931, o maestro e compositor Dmitri Shostakovich (1906-1975) utilizou pela primeira vez o instrumento no Cinema, na sua trilha sonora para o filme russo Odna (1931). O momento escolhido para a inserção do Teremin foi a tensa formação de uma perigosa tempestade de neve. Desta forma, o Teremin ficou conhecido pela sua capacidade de gerar climas de tensão musical, devido ao seu timbre agudo e eletrônico e às suas imprecisões de afinação, o que dá ao instrumento uma voz timbrística “estranha”, ainda mais para os ouvidos da época, desacostumados aos timbres eletrônicos.

Por estas razões, quando o músico húngaro Miklos Rózsa (1907-1995) levou o instrumento para os Estados Unidos utilizando-o pela primeira vez no filme Noir de suspense Spellbound (1945-Alfred Hitchcock), as inserções do instrumento passaram a ser associadas com os momentos dos filmes ligados ao desconhecido ou ao maligno. Na década de 40 ele seguiu desta forma, participando de composições de filmes Noir como The lost weekend (1945-Billy Wilder), The spiral Staircase (1945-Robert Siodmak), Raw Deal (1948-Anthony Mann), The red house (1947-Delmer Daves) entre outros. Todos estes filmes continham algum elemento maligno como criminosos ou elementos que influenciavam negativamente o homem como o álcool ou as drogas. O Teremin configurava sonoramente os momentos em que estes elementos malignos apareciam.

Com a chegada dos anos 50, o mundo vivia cada vez mais a crescente tensão gerada pela corrida armamentista da guerra fria. Este fato junto com os melhoramentos nas técnicas de efeitos visuais influenciou no surgimento de um enorme grupo de filmes de ficção científica sobre invasões alienígenas e monstros gerados pelo mau uso da tecnologia nuclear. Nestes filmes, a associação do Teremin com o maligno produzida pelos filmes da década de 40 começou a ser aproveitada para gerar tensão às cenas que colocavam o expectador em contato com o elemento desconhecido. O instrumento passou a ser utilizado nos momentos em que os extraterrestres, os discos voadores e os monstros eram mostrados em cena ou aludidos.

Contudo, nos anos 60, com o surgimento dos sintetizadores analógicos o Teremin se tornou obsoleto, pois agora existiam outros instrumentos eletrônicos que não possuíam as mesmas dificuldades de afinação. Além disso, o instrumento começou a ser parodiado à partir do filme The Delicate Delinquent (1957-Don McGuire), do comediante Jerry Lewis. Dessa forma, o instrumento acabou mesmo desaparecendo de vez do Cinema e da Tv nas décadas de 70 e 80.

Com o final simbólico da guerra fria à partir da queda do muro de Berlim em 1989, o Teremin voltou a aparecer no cinema e na Tv para ser utilizado principalmente nos momentos cômicos ligados à imagem dos discos voadores e dos extra-terrestres hostis como nos filmes Marte ataca! (Mars attacks-1996-Tim Burton) e no seriado Os Simpsons (aparições dos Aliens Kang e Kodos à partir da segunda temporada em 1990). O uso parodial do instrumento visa zombar dos medos ligados às gerações que viveram o clima de tensão da guerra fria através da sonoridade dos filmes de ficção científica da década de 50 que utilizaram amplamente o Teremin como estratégia de configuração do maligno e do desconhecido.

Bibliografia

- O que é ficção científica. Bráulio Tavares. 2 edição.Editora Brasiliense. São Paulo- 1992;

- Introdução a uma história da ficção científica. Léo Godoy Otero. São Paulo. Ed. Lua Nova, 1987;

- Ficção Cientifica. Ficção, ciência ou uma épica da época? Raul Fiker. Ed. L&PM. São Paulo-1985;

-Science Fiction Film- J. P. Telotte. Cambridge University Press. Cambridge- United Kingdom- 2004;

- Sound Design- David Sonnenschein- Studio City- Michael Wiese Productions- Ed. Focal Press-2000;

- A origem da trilha sonora- Felipe Sales- 2008- www.mnemocine.art.br

- Knowing the score: Notes on film music- Irwin Bazelon- New York- Focal Press;

-Music and Cinema- James Buhler- New England- Wesleyan university Press- 2000