/ / / / / / / / / / / / / /      Anais Digitais      / / / / / / / / / / / / / /

  Voltar para a lista
 
  Título
O hibridismo entre os formatos da teleficção: seriado e minissérie
Autor
Vanessa Fernandes Queiroga Pita
Resumo Expandido
Anna Maria Balogh (2002), devido à confluência de linguagens em determinadas produções da televisão, levanta um questionamento em relação aos formatos dos programas de ficção na TV: como sistematizar esses processos que estão sempre em evolução, em andamento? Partindo dessa inquietação, pretendemos iniciar um debate tomando como exemplo um programa teleficcional que transcende as características usuais da sua sistematização e promove um hibridismo de formatos, a microssérie realizada por Jorge Furtado, na Rede Globo,
Bibliografia

BAKHTIN, Mikhail Mikhailovich. Estética da criação verbal. Tradução do russo Paulo Bezerra. 5ªed. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2010a. _____. Problemas da poética de Dostoiévski. Tradução do russo Paulo Bezerra. 5ªed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010b. BALOGH, Anna Maria. O discurso ficcional na TV: sedução e sonho em doses homeopáticas. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2002. FECHINE, Yvana. Gêneros televisuais: a dinâmica dos formatos. Revista Symposium. Recife: FASA/ Universidade Católica de Pernambuco, ano 5, nº.1, janeiro-junho de 2001. p.14-26. Disponível em: < http://www.maxwell.lambda.ele.puc-rio.br/3195/3195.PDF>. Acesso em 09 de nov. de 2010. JAKOBSON, Roman. Lingüística e Comunicação. Tradução de Izidoro Blikstein e José Paulo Paes. São Paulo: Cultrix, s.d. MACHADO, Arlindo. A televisão levada a sério. 4ª ed., São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2005. PALLOTTINI, Renata. Dramaturgia de televisão. São Paulo: Moderna, 1998.