/ / / / / / / / / / / / / /      Anais Digitais      / / / / / / / / / / / / / /

  Voltar para a lista
 
  Título
Glauber e Pasolini: estética onírica e transgressao das normas
Autor
Josette maria alves de souza monzani
Resumo Expandido
Apresentar alguns pontos de contato existentes entre Pocilga, de Pier Paolo Pasolini, e os filmes O Leão de 7 cabeças (Der Leone have sept cabeças) e Cabeças cortadas, de Glauber Rocha, a fim de discutir a isomorfia de suas representações e a atemporalidade nos três filmes demarcada. Pretende-se analisar as similaridades presentes no imaginário de ambos os diretores dentro desse momento criativo compreendido entre 1969 e 1970. Uma das narrativas que compõe o filme de Pasolini busca apontar a irrupção do inconsciente sobre o consciente: onde não há palavras, existem representações. Glauber é puramente isso. Exacerba esse modelo e busca também transgredir com as normas que impõem tabus morais.Traços de ancestralidade mítica e cultural e da história político-social da segunda metade do século XX que foram aglutinados e postos em conflito por Pasolini em Pocilga, em nosso entender, foram desmembrados, descarnados, revistos e atualizados pelo cineasta brasileiro nos dois filmes mencionados.
Bibliografia

FREUD, S. Totem e Tabu. SE. Rio de Janeiro: Imago, 1978.

GOMBRICH, E.H. Freud y la psicologia del arte. Barcelona: Barral, 1971.

IVANOV, V. V. Dos diários de Serguei Eisenstein e outros ensaios. São Paulo: EdUSP, 2009.

MERLEAU-PONTY, M. O olho e o espírito. São Paulo: CosacNaify, 2004.

ROMAGUERA, J. e RIAMBAU, E. (ORG). La Historia y el cine. Barcelona: Fontamara, 1983.