/ / / / / / / / / / / / / /      Anais Digitais      / / / / / / / / / / / / / /

  Voltar para a lista
 
  Título
Armadilhas do desejo: Vale Abraão
Autor
Aparecida de Fátima Bueno
Resumo Expandido
É de longa data a parceria entre Manoel de Oliveira e Agustina Bessa-Luís. Desde 1981, quando o cineasta adapta Fanny Owen (1979), a que dá o título de “Francisca”, essa parceria tem sido recorrente e gerado vários frutos. Entretanto, foi a adaptação de Vale Abraão (1991), cujo filme homônimo foi lançado em 1993, que parece ter resultado no momento máxime do diálogo entre Agustina e Oliveira. O filme recebeu vários prêmios internacionais, tendo sido ovacionado por dez minutos no Festival de Cannes, daquele ano, após sua apresentação. A idéia motriz seria a de transpor para o norte de Portugal e para a contemporaneidade a trama de Madame Bovary; proposta feita a Agustina, pelo diretor, interessado num roteiro sobre o tema. Agustina vai se entusiasmar tanto com o projeto que acabará não por escrever o roteiro encomendado, mas um romance. É a partir dessa narrativa que Oliveira estruturará o guião de seu filme. Discutir as relações intertextuais entre o filme de Manoel de Oliveira e o romance da escritora portuguesa, e as opções do realizador para transpor a história para o grande ecrã, são os nossos objetivos aqui.
Bibliografia

BELLO, Maria do Rosário Lupi. Narrativa literária e narrativa fílmica. O caso de Amor de Perdição. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian – Fundação para a Ciência e a Tecnologia, 2005.

BENJAMIN, Walter. A obra de arte na era de sua reprodutibilidade técnica. Magia, técnica, arte e política. 3.ed. São Paulo: Brasiliense, 1987. p.165-196.

BESSA-LUÍS, Agustina. Vale Abraão. 3.ed. Lisboa: Guimarães Editora, 1996.

COELHO, Eduardo Prado. Vinte anos do cinema português – 1962-1982. Lisboa: Instituto da Cultura e da Língua Portuguesa, 1983.

PALMA, Glória Maria (org.). Literatura e cinema. Bauru. Edusc, 2004.

PELLEGRINI, Tânia et al. Literatura, cinema e televisão. São Paulo: Senac, 2003.

STAM, Robert. A literatura através do cinema. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2008.

XAVIER, Ismael. O discurso cinematográfico: a opacidade e a transparência. São Paulo: Paz e Terra, 2005.