/ / / / / / / / / / / / / /      Anais Digitais      / / / / / / / / / / / / / /

  Voltar para a lista
 
  Título
Websérie: convergência televisão e internet
Autor
Leticia Passos Affini
Resumo Expandido
É na convergência da televisão com a internet que nascem possibilidades de dinamização do diálogo entre vários códigos e linguagens, um novo contexto que pode resultar na ampliação do conceito clássico de linguagem audiovisual.

Há muitas questões para serem respondidas em relação à convergência entre televisão e internet. Neste artigo abordaremos aspectos relacionados ao tipo de conteúdo que essa fusão exigirá. Um veículo novo demanda produção de novos conteúdos que são gerados para atender a demanda de diferentes formatos e gêneros narrativos. Nesse sentido, a veiculação de peças audiovisuais na internet constata um adensamento da audiência e cria maior interesse porque vincula necessidades individuais ao repertório coletivo.

O corpus de análise é constituído por um produto que incorpora formatos gráficos hipertextuais, que incorpora processos linguísticos e estímulos a diferentes formas de percepção. Portanto, o conteúdo selecionado é analisado em sua totalidade porque o conceito de hierarquia ou de que um aspecto é mais importante do que outro, não cabe nesta análise. Tudo está interligado na rede e contribui para um processo participativo de leitura “ativa” pelo usuário.

A materialidade sígnica que migra de um suporte para outro é fruto da convergência entre as linguagens da televisão e do cinema. Porém ao analisar a websérie consideramos os elementos que particularizam e dão especificidade ao espaço virtual.

A análise dos ânglos de gravação do produto são imprescindíveis porque determinam o grau de envolvimento entre o usuário e o produto midiático veiculado. Além disso, a angulação determina a sequência lógica no processo de montagem. O tamanho da imagem é dada pela distância entre a câmera e o objeto a ser gravado. A partir daí podemos definir que os grandes planos gerais e os planos gerais não são adequados para tal tarefa. Com os grandes planos não é posssível a leitura dos detalhes da ação tornando-os ruído, o formato não apresenta a resolução necessária. Na websérie o plano mais aberto deve ser o plano conjunto, aspecto respeitado pela produção.

A websérie é classificada como comédia e tem como público-alvo jovens internautas. Foram realizadas duas temporadas, a primeira com 8 websódios e a segunda com 16, o tempo de duração de cada um gira em torno de 4 minutos, atendendo ao conceito de micrometragem. A narrativa gira em torno da importadora de produtos de beleza “Zen %”, em cada websódio é apresentada uma nova situação com o desfecho ao final do mesmo. Assim, não há a necessidade de assistir todos os websódios para a compreensão da narrativa. Gravada somente em estúdios os ambientes são interconectados simulando a geografia de uma pequena empresa. Temos os seguintes ambientes: as salas, a recepção, o pátio e o depósito.

Nos quinze segundos inicias da produção, é apresentada a vinheta de abertura, feita em animação, a partir da logomarca da empresa “Locaweb”, nela já é possível vislumbrar os estereótipos utilizados, o chefe chegando na empresa, em meio a diversos problemas logísticos. Há a utilização de recursos de hipermídia na construção da pagina onde está hospedada tal peça. Composta por links, sua interface foi montada lembrando uma historia em quadrinhos.

A análise constatou o modelo de negócio branded entertainment. A narrativa estudada apresenta as características: cenas em planos fechados proporcionando uma maior ênfase às atitudes da personagem; narrativas enrustidas de humor; duração média de quatro minutos, o que permite seu rápido carregamento e uma maior promoção, agilidade e rapidez que produtos para Internet devem proporcionar.

Não reunimos subsídios teóricos e ou conceituais para apontar soluções, mas tão somente de propor possíveis caminhos para a convergiência midiática representada pela disponibilização de audiovisual na internet.



Bibliografia

BARDIN, Laurence. Analise de Conteúdo. Edições 70. 1988.

LEAO, Lucia. O labirinto da hipermídia: arquitetura e navegação no ciberespaço / São Paulo: FAPESP: Iluminuras, 2005.

LEMOS André: Janelas do Ciberespaço: comunicação e cibercultura, Porto Alegre, Sulina, 2001.

GOSCIOLA, Vicente: Narrativas complexas para a TV Digital: Do cinema de atrações à interatividade in Televisão Digital; Desafios para a comunicação. Porto Alegre: Sulina, 2009.

JENKINS, Henry: Cultura da Convergência, Tradução Susana Alexandria São Paulo, Aleph, 2009.

MACHADO, Arlindo: Pré-cinemas & pós-cinemas /Arlindo Machado. Campinas: Papirus, 1997.

MACHADO, J (org): Para navegar no século XXI. Sulina: PUCRS: Porto Alegre, 2003.

MANOVICH, Lev: The Language of New Media, The MIT Press, 2000.

MORIN, Edgar. Introdução ao pensamento complexo, Porto Alegre: Editora Sulina, 2007.