/ / / / / / / / / / / / / /      Anais Digitais      / / / / / / / / / / / / / /

  Voltar para a lista
 
  Título
Imagens e valores da masculinidade, paternidade e autoridade em Tropa de Elite
Autor
Eliane Tânia Martins de Freitas
Resumo Expandido
Tropa de Elite e Tropa de Elite 2 apresentam imagens de conflitos pessoais e públicos que elaboram discursos sobre masculinidade, autoridade, paternidade. Estes serão foco de nossa análise, cuja unidade consistirá na narrativa fílmica constituída pelos dois filmes enquanto objetos postos em diálogo a partir de seu repertório simbólico e estruturação interna, ie, de seu universo singular. Esses discursos mostram-se heterogêneos na narrativa, conforme os vários contextos de ação e personagens, e serão tomados sempre a partir do contexto temático mais englobante da narrativa que tem como fios condutores os assuntos violência urbana e corrupção na esfera pública, especialmente no campo da política.

Militares, políticos, milicianos, presidiários, pais, filhos: papéis vividos simultânea ou alternadamente no filme, como figurações do masculino. Que valores e que imaginário da masculinidade e dos papéis sociais masculinos essa narrativa constrói e elabora, e de que modos? Em Tropa de Elite 2, por exemplo, há duas figuras paternas encarnadas por personagens com perfis sociais e repertórios de valores morais e políticos bastante diversos. Em torno do embate entre elas, central na narrativa - quando tomada a partir do eixo dos conflitos pessoais, de certo modo indissociável, dos conflitos públicos - podemos entrever todo um discurso sobre paternidade, autoridade, masculinidade, que lhes dá sentido e limites, e que, por fazê-lo, as define em contraposição uma a outra: Nascimento e Fraga. Analisar as configurações dessa relação, entre as duas personagens, e seus mediadores (o filho Rafael e a esposa/ex-esposa Rosane)em seus diversos eixos, privado e público (político), será um dos recursos analíticos que empregaremos, neste paper, para refletir sobre os temas recortados e, a partir deles, sobre como o objeto fílmico enquanto tal pode contribuir para o acervo social de noções e imagens sobre papéis de gênero, papéis familiares - no caso, especialmente a paternidade, e outros papéis e relações sociais na vida pública e privada, bem como sobre a própria positividade do conflito social para o estabelecimento das identidades sociais, uma vez que estas devem ser sempre pensadas em termos situacionais, enquanto posições relativas.

Assim, por meio da análise detalhada da narrativa fílmica de Tropa de Elite (1 e 2), estaremos analisando e discutindo a proliferação de imagens e valores que ela concorre para elaborar e veicular por meio de seu discurso social, especialmente pela força das suas imagens. O universo ficcional mostrado no filme não reflete passivamente outro, pré-existente, "a realidade", mas dialoga com ela, por meio de proposições, provocações, reflexões, e pela força mesma da narrativa visual e sua eficácia intrínseca para produzir e transmitir significados. Nosso trabalho dialogará com as discussões teórico-metodológicas que vêm sendo produzidas nos campos da Antropologia da Imagem e do Cinema, e procurará partir sempre da análise da estrutura da narrativa e seu repertório simbólico, de modo a não impor a ela esquemas interpretativos prévios, derivados de outros contextos e objetos.
Bibliografia

ADORNO, Theodor W.; HORKHEIMER, Max. Dialética do Esclarecimento: fragmentos filosóficos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1985. p. 113-156.



BAZIN, André. Ontologia da imagem fotográfica. O Cinema: ensaios. São Paulo: Brasiliense, 1991. p. 19-26.



BENJAMIN, Walter. Obras Escolhidas I (magia e técnica, arte e política). São Paulo: Brasiliense, 1985.



FOUCAULT, Michel. A ordem do Discurso. São Paulo: Loyola, 1996. [1971]



FRANCASTEL, Pierre. Études de Sociologie de l’Art. Paris: Editions Denoël, 1970.



SORLIN, Pierre. Sociologie du Cinéma: ouverture pour l’histoire de demain. Paris: Aubier Montaigne, 1977.



XAVIER, Ismail (Org.). A Experiência do Cinema: antologia. Rio de Janeiro: Graal/Embrafilmes, 1983.