/ / / / / / / / / / / / / /      Anais Digitais      / / / / / / / / / / / / / /

  Voltar para a lista
 
  Título
Grande Sertão: Veredas e Capitu – rupturas de paradigma na ficção televisiva
Autor
Renato Luiz Pucci Junior
Resumo Expandido
O objetivo da comunicação é destacar mudanças de paradigma de inovação narrativa que aconteceram ao longo de pouco mais de duas décadas na televisão brasileira. Por meio da análise comparativa, trata-se de apontar diferenças na concepção da ficção seriada televisiva, de modo a corroborar a ideia de que estiveram em uso heterogêneos paradigmas de narração audiovisual, com diferentes normas e constrições. Numa grade habitualmente associável à estabilidade em termos de propostas criativas, é possível identificar transformações significativas entre o que se considerava mais ousado em meados dos anos oitenta e ao final da primeira década deste século. Essa possibilidade aponta para a hipótese de que diversos horizontes de expectativas por parte do público estiveram em jogo ao longo do período indicado. Como objetos de análise foram escolhidas duas minisséries que se destacaram junto à apreciação crítica: Grande Sertão: Veredas (Globo, 1985, direção de Walter Avancini) e Capitu (Globo, 2008, direção de Luiz Fernando Carvalho). Ambas compartilham o fato de que são adaptações de dois dos mais reputados e complexos produtos da literatura nacional, respectivamente, o romance homônimo de Guimarães Rosa e Dom Casmurro, de Machado de Assis. As duas adaptações envolveram tentativas em termos de linguagem audiovisual e de narrativa em relação às quais não se pode acreditar que tenham sido efetivadas sem risco de fracasso de crítica ou de audiência. Trata-se de soluções técnicas que não faziam parte do repertório habitualmente utilizado na ficção televisiva brasileira e mesmo muito pouco na produção internacional, de modo a constituir um processo de experimentação narrativa. O referencial teórico cognitivista será utilizado a fim de fundamentar o exame de schemata de criação e de expectativas do público. Quanto à metodologia, será adotada a perspectiva proposta por Kristin Thompson (2003), em especial quanto à necessidade do trabalho analítico dos produtos televisivos e à identificação de diferentes modos narrativos. Como referência para o exame dos específicos processos de narração, será utilizada a pesquisa de Ballogh (2005) acerca da minissérie Grande Sertão: Veredas, inclusive como termo de comparação para a abordagem da segunda minissérie que compõe o corpus deste trabalho. O estudo da ficção seriada televisiva se apoiará em Esquenazi (2010), de modo a identificar particularidades do meio e conexões com o desenvolvimento da produção televisiva internacional.
Bibliografia

BALLOGH, Anna Maria. Conjunções, Disjunções, Transmutações: da Literatura ao Cinema e à TV. 2a. ed. São Paulo: Annablume, 2005.

BORGES, Gabriela; REIA-BAPTISTA, Vítor. (Orgs.). Discursos e Práticas de Qualidade na Televisão. Lisboa: Livros Horizonte, 2008.

ESQUENAZI, Jean-Pierre. Les séries télévisées: l’avenir du cinema? Paris: Armand Colin, 2010.

HOGAN, Patrick C. (S.d.). Cognitive Science, Literature, and the Arts: a Guide for Humanists. S.l.: Kindle Ed. (edição original: Nova York e Londres: Routledge, 2003).

HUTCHEON, Linda. A Theory of Adaptation. Nova York/Londres: Routledge, 2009.

PUCCI JR., Renato Luiz. Particularidades Narrativas da Microssérie Capitu. In: PUCCI JR., R. L.; BORGES, G.; SELIGMAN, F. (Orgs.). Televisão: Formas Audiovisuais de Ficção e Documentário – Vol. I. São Paulo/Faro: Socine/Algarve-CIAC, 2011. Disponível em: http://www.ciac.pt/livro/livro.html

THOMPSON, Kristin. Storytelling in Film and Television. Cambridge e Londres: Harvard University Press, 2003.