/ / / / / / / / / / / / / /      Anais Digitais      / / / / / / / / / / / / / /

  Voltar para a lista
 
  Título
Edições de filmes restaurados em DVD: o caso Joaquim Pedro de Andrade
Autor
Roberto Jorge Carneiro de Souza Leão
Resumo Expandido
Ao longo da segunda metade do século XX, o desenvolvimento de novas mídias de entretenimento caseiro reorganizou alguns padrões de produção, circulação e exibição de filmes. Este elemento ganha força, fundamentalmente, a partir do surgimento da noção de home vídeo com o Vídeo Cassete Recorder (VCR), na década de 70. Contudo, em meados dos anos 90, o desenvolvimento da tecnologia do Digital Versatile Disc (DVD) traz novas potencialidades, permitindo uma maior capacidade de armazenamento de informação e também uma forma de navegação dinâmica pelos conteúdos disponíveis no formato de menus (uma experiência em muito semelhante ao tipo de navegação propiciada com o surgimento de uma nova interface gráfica para o usuário do computador).

O surgimento do DVD como uma mídia de vídeo caseiro introduziu no mercado uma nova categoria de produtos chamados edições especiais, comemorativas ou de colecionador. O distintivo desses produtos é um conjunto de materiais extras oferecidos em forma de “bônus”, tais como documentários, faixas comentadas de áudio e menus interativos. Estes extras apresentam informações diversas sobre o filme, dentre eles: cenas comentadas pelo diretor, cenas excluídas, trailers, entrevistas. Estes materiais atuam como filtros de informação (Johnson, 1997) e mediam a relação do expectador com o filme gerando discursos e narrativas acerca da obra, podendo complementar a experiência de fruição sobre o filme.

No caso dos filmes restaurados os extras podem apresentar informações e documentários sobre o processo de restauração fílmica. Este é o caso analisado a partir da caixa de filmes restaurados do cineasta Joaquim Pedro de Andrade.

Uma das figuras centrais do Cinema Novo, Joaquim Pedro de Andrade teve a sua filmografia restaurada, entre 2004 e 2009, num projeto capitaneado pela produtora de seus herdeiros (a Filmes do Serro), em parceria com a Cinemateca Brasileira e a Teleimage. Esta empreitada envolveu cerca de 100 profissionais da área de preservação, restauração e documentação, num trabalho que durou aproximadamente cinco anos, entre o inventário inicial acerca da localização dos materiais, até o escaneamento e a reimpressão das novas matrizes fílmicas em formato 35mm.

Ao final do projeto, a produtora Filmes do Serro, em parceria de distribuição com a produtora Videofilmes, lançou a caixa com seis DVDs contendo seis longas-metragens e oito curtas do diretor Joaquim Pedro de Andrade. Todos estes títulos foram feitos a partir de matrizes originais restauradas. Além dos filmes, os seis DVDs continham materiais extras que incluíam, desde um documentário sobre o processo de restauração de cada um dos títulos às faixas sonoras comentadas e trailers da época.

Dada estas características, esta caixa de DVDs torna-se um objeto profícuo para este trabalho já que torna possível se elaborar uma discussão sobre como estes “extras” atuam como produtores de sentido e valor, não apenas sobre o filme, mas também sobre a restauração a qual foi submetida, transformando-se numa espécie de metadados do processo.

Posto isso, o presente trabalho investiga os sentidos e significados que podem ser atribuídos a uma obra cinematográfica restaurada e disponibilizada em um novo formato. A análise proposta será focada nos “extras” oferecidos ao espectador e nas formas pelas quais esses conteúdos são apresentados (ou seja, telas de apresentação, menus de acesso, formas narrativas utilizadas). A hipótese levantada aqui é a de que pode existir uma relação entre a Edição Especial do Cineasta Joaquim Pedro de Andrade e discursos que evocam noções como: perda, memória, patrimônio, valor estético e artístico, ao mesmo tempo em que também a entende o filme como produto de consumo, assimilando uma retórica de mercado.

Bibliografia

APPADURAI, Arjun (org.) A vida social das coisas: as mercadorias sob uma perspectiva cultural. Rio de Janeiro: EDUFF, 2008



BOTLER, Jay David; GRUSIN, Richard. Remediation: understanding new media, Cambridge, MA : MIT Press, 2000.



CALIL, Carlos Augusto; XAVIER, Ismail [org.]. Cinemateca imaginária: cinema e memória. Rio de Janeiro: Embrafilme, 1981.



JOHNSON, Steven. A cultura da interface: como o computador trasnforma nossa maneira de criar e comunicar. Rio de Janeiro : Jorge Zahar Ed., 2001.



KOMPARE, Derek. Publishing flow: DVD Box sets and the reconception of television. In: Television & new media, nº7. 2006. Pp.335 – 360.



READ, Paul; MEYER, Mark-Paul. Restoration of motion picture film. Oxford: Butterworth-Heinemann, 2000.



USAI, Paolo Cherchi. Film as an art object. Danish Film Institute, 2002.



VIANY, Alex. O processo do cinema novo. Rio de Janeiro: Aeroplano, 1999.



WILLIAMS, Raymond. Television: technology and cultural form. Londres: Rouledge, 1990.