/ / / / / / / / / / / / / /      Anais Digitais      / / / / / / / / / / / / / /

  Voltar para a lista
 
  Título
Retrospectiva de Leningrado, de Sokurov: o passado à luz do presente
Autor
Lúcia Ramos Monteiro
Resumo Expandido
Uma Retrospectiva de Leningrado. 1957-1990 é um dos mais recentes trabalhos do cineasta russo Alexander Sokurov. Trata-se de uma montagem feita com os arquivos das atualidades filmadas de Leningrado, as Leningradskaya kinokhronika, que foram produzidas por mais de três décadas, sempre em película. Sokurov começou a trabalhar com esse material em 1990, imediatamente após a interrupção da série, e só a concluiu em 2008, com a colaboração de Alexei Jankowski.

À primeira vista, parece que a integridade das atualidades filmadas foi bem preservada na compilação – esse é, aliás, o termo que Sokurov usa nos créditos. Este trabalho pretende, porém, investigar as implicações da intervenção do realizador sobre o material de arquivo. De fato, Sokurov não tece um comentário sobre as imagens que apresenta, não as repete nem as reenquadra. Seu gesto criador concentra-se, porém, no canto inferior direito do quadro: um efeito de pós-produção faz com que a imagem lembre uma página de livro, prestes a ser virada. Além disso, ele insere uma linha do tempo sobre as imagens, em que são identificados, além do ano da imagem, o início e o fim da existência de Leningrado com esse nome.

Proponho uma análise sobre a relação das imagens do passado com seu futuro, a partir dos estudos do historiador alemão Reinhart Koselleck, que se dedicou, entre outras coisas, a pensar o papel da previsão na história, e de alguns filmes de Chris Marker (Sans Soleil, Une Journée d'Andrei Arsénevitch) e de Jean-Luc Godard (Histoire(s) du Cinéma). Ao dar a imagens de arquivo provenientes das atualidades filmadas de Leningrado a forma de uma página de livro prestes a ser virada, Sokurov nos faz ver cada evento filmado como a iminência da derrocada do regime, como se atribuísse a imagens do passado um saber que forçosamente lhes é posterior.

Bibliografia

ARRASSE, Daniel, On y voit rien. Paris, Gallimard, Folio Essais, 2003.



ROSELLECK, Reinhart, Le futur passé. Contribution à la semantique des temps historiques. Annales. Économies, Sociétés, Civilisations, 1991, vol. 46, n° 6, pp. 1499-1501.