/ / / / / / / / / / / / / /      Anais Digitais      / / / / / / / / / / / / / /

  Voltar para a lista
 
  Título
Uma nova ética de representar: o Brasil no documentário canadense
Autor
Anelise Reich Corseuil
Resumo Expandido
Documentários canadenses recentes apresentam uma produção marcada por interesses multiculturais, representativos de comunidades diaspóricas e de aborígenes canadenses, chamados também de "first people nations". A longa tradição da produção fílmica canadense também tem sido associada aos interesses do NFB (National Film Board of Canada) desde sua criação em 1934, sob a direção de Robert Flaherty, cujo interesse por questões sociológicas e visão do documentário com uma "função pública e social" exerceu grande influência na constituição de um projeto nacional para o NFB (Projecting Canada: government policy and documentary film at national film board, 2007).

Ao longo de uma tradição de produção de documentários, a produção contemporânea canadense apresenta questões políticas instigantes e formas narrativas inovadoras e autorreflexivas que possibilitam um questionamento de vários códigos narrativos associados ao documentário e a sua suposta neutralidade como forma de representação. Este trabalho busca analisar as formas alternativas e não hegemônicas de representação de paisagens latino-americanas, mais especificamente do Brasil, em documentários canadenses contemporâneos sobre a América Latina, focalizando o documentário An ecology of hope. Além deste documentário, busca-se traçar um paralelo com documentários já analisados sobre o tema em questão, tais como Um lugar chamado Chiapas, O Mundo está assistindo e Capturing reality: the art of documentary.

Documentários canadenses não apenas documentam a geografia, história e cultura de países latino-americanos, mas também oferecem uma perspectiva crítica e autorreflexiva sobre as suas próprias formas de fazer o documentário e de representar do sujeito e o cenário latino-americano, incluindo aspectos naturais e geográficos, que, muitas vezes, são representados com fotografia naturalista que ressalta o exotismo associado à paisagens latino-americanas. Observa-se que a peculiaridade de certas paisagens prepondera em filmes e reproduções como espécie de "identidade nacional simbólica" (Beyond Wilderness, 2007). Neste contexto crítico-teórico, o trabalho focaliza as formas como o documentário An ecology of hope (2001) interrelaciona perspectivas autorreflexivas e éticas sobre as formas de representação do documentário com a estética utilizada nos filme. O filme apresenta as teorias de Pierre Dansereau sobre a necessidade de uma ecologia mais humana, urbana e ética são reveladas a partir de vários depoimentos do ecologista ao revisitar vários lugares em que viveu, inclusive o Brasil. Paisagens brasileiras conhecidas como monumentos de Brasília, praias do RJ e a favela do Vidigal são reveladas a partir de uma cinematografia e processo de montagem, reveladores de uma narrativa mais subjetiva, inovadora e autorreflexiva.











Bibliografia

DRUICK, Zöe. Projecting Canada: government policy and documentary film at national film board. McGill-Queens University Press, 2007.



O´BRIAN and Peter White, eds. Beyond wilderness: the group of seven, Canadian identity and contemporary art. McGill-Queen's University Press, 2007.



BERRY, J.W. and Laponce, J.A. Eds.. Ethnicity and culture in Canada, Toronto: University of Toronto Press, 1994.



BRUZZI, Stella. New documentary: a critical introduction. London and New York: Routledge, 2000.



BURGOYNE, Robert. Film nation: hollywood looks at U.S. History. Minneapolis and London: University of Minnesota Press, 1997.



FURST, Lilian R. All is true: the claims and strategies of realist fiction. Durham: Duke University Press, 1995.