/ / / / / / / / / / / / / /      Anais Digitais      / / / / / / / / / / / / / /

  Voltar para a lista
 
  Título
A audibilidade do som
Autor
Eduardo Simões dos Santos Mendes
Resumo Expandido
Muito tem se discutido sobre o uso do espaço sonoro em sistemas de reprodução estereofônica. A expansão do espaço visível da imagem através do uso das caixas laterias da tela e o envolvimento físico do espectador pelos sons emitidos pelas caixas de surround são alguns temas que continuam sendo pesquisados nas últimas décadas.

Há uma outra discussão relacionada à vinculação som/espaço que, talvez por sua percepção mais sutil, tem sido pouco feita: a audibilidade da voz e de todos os outros sons gerados em cena. Quando me refiro à audibilidade da voz, não falo sobre inteligibilidade das palavras pronunciadas e sim sobre a possibilidade de ouvir todas as sutis interações que a reverberação dessa voz cria com espaço onde foi captada.

Pode-se detectar hoje, pelo menos, dois padrões desse tipo de audibilidade: uma que valoriza a reflexão da voz no ambiente e faz com que sua sonoridade se integre aos outros elementos sonoros da trilha e outra que destaca a voz em primeiro plano, separando-a dos demais sons existentes.

Este trabalho pretende apresentar esses diferentes padrões de audibilidade existentes, seus processos de construção, tanto durante a captação quanto na pós-produção e discutir seus reflexos na narrativa das obras.
Bibliografia

LARSON GUERRA, Samuel. Pensar el Sonido. México: Unam, 2010.

LoBRUTTO, Vincent. Sound-on-Film. Westport: Praeger, 1994.

PASQUARIELLO, Nicholas. Sound of Movies. San Francisco: Port Bridge, 1997.

SCHAEFFER, Pierre. Tratado de los objectos musicales. Madrid: Alianza, 1988.

SCHAFER, Murray. A afinação do mundo. São Paulo: Unesp, 2001.

_____. O ouvido pensante. São Paulo: Unesp, 1992.

SOUZA, João B.G. Procedimentos de trabalho na captação de som direto nos longas-metragens brasileiros Contra todos e Antônia: a técnica e o espaço criativo. Tese (doutorado) ECA/USP, 2011.