/ / / / / / / / / / / / / /      Anais Digitais      / / / / / / / / / / / / / /

  Voltar para a lista
 
  Título
O Neorrealismo visto da província: notas sobre uma recepção crítica
Autor
Rafael Oliveira Carvalho
Resumo Expandido
O crítico de cinema e ensaísta baiano Walter da Silveira foi uma das figuras proeminentes que agitaram a vida cultural na Bahia no que diz respeito à valorização da arte cinematográfica. Dentre as décadas de 50 e 60, Silveira exerceu as funções de crítico, ensaísta, cineclubista e professor; um intelectual e pensador da expressão cinematográfica.



A partir da análise de algumas críticas e artigos gerais de Silveira sobre filmes da escola neorrealista italiana, publicados em jornais e revistas diversos da capital baiana, essa proposta de comunicação pretende investigar uma parte da recepção desses filmes no estado. A estética do movimento italiano viria influenciar e se fazer sentir na posterior produção cinematográfica do Ciclo de Cinema da Bahia e também do Cinema Novo (CARVALHO, 1999). Daí a importância de entender de que forma os filmes italianos foram recebidos e pensados na Bahia e que tipos de discursos eles suscitaram nos meios jornalísticos.



Longe de tentar compreender a totalidade desses discursos, até mesmo por conta das outras vozes que se arvoravam na crítica de cinema na Bahia, ampara-se nos escritos de Walter da Silveira pelo reconhecimento que possuía como pensador da arte cinematográfica e pelo trabalho consistente e duradouro no campo da reflexão crítica. Assim, estamos pensando no crítico como receptor sui generis porque socialmente aceito como um apreciador especializado das obras de arte. O estilo de crítica de Silveira perpassa pelo direcionamento do consumo cinematográfico no sentido de fazer ver as obras fílmicas que possuíam alto valor artístico, alcançando depois uma abordagem analítica dos filmes em si. Silveira se preocupava com a conscientização do público para a necessidade de interpretação das obras de arte, além de apresentar ao leitor novos e relevantes autores de cinema.



Parte-se dos estudos da estética da recepção (Lima, 2001), sobretudo das contribuições de Hans Robert Jauss e Wolfgang Iser, sobre a importância de entender as releituras e atualizações textuais feitas pelos receptores (sejam eles os leitores/expectadores ou os críticos de arte). Juntam-se a esses estudos as perspectivas da recepção histórica pensadas por Janet Staiger (2000) e David Bordwell (1991), para quem é preciso não só analisar a produção textual da recepção, mas também levar em consideração a contextualidade em que esses escritos são produzidos e difundidos nos meios de comunicação.



Nesse sentido, é importante pensar então que Silveira, engajado à frente do Clube de Cinema da Bahia, fundado e administrado por ele mesmo, chegou a programar uma série de filmes do neorrealismo italiano para serem exibidos no estado, dando ao público a possibilidade de ter contato com aquele tipo de cinematografia que não encontrava espaço no circuito comercial de cinema. Ao mesmo tempo, encontra-se em Walter da Silveira a preocupação da recepção histórica da arte cinematográfica a partir do seu livro A História do Cinema Visto da Província (lançado postumamente), esforço de registrar como o cinema foi recebido na então provinciana Bahia desde o seu nascimento até a década de 50.



Dessa forma, busca-se aqui entender por quais caminhos seguem os discursos proferidos nos textos críticos e informativos sobre o neorrealismo italiano na Bahia por um de seus mais conhecidos agitadores culturais. Também é uma forma de compreender como a crítica cinematográfica atualiza e ressignifica as imagens de cinema, ampliando a recepção dos filmes e tornando-os, assim, mais amplos, consistentes ou complexos na leitura que o espectador realiza.
Bibliografia

BORDWELL, David. Making meaning: inference and rhetoric in the interpretation of cinema. USA: Harvard University Press, 1991.



CARVALHO, Maria do Socorro Silva. Imagens de um tempo em movimento: cinema e cultura na Bahia nos anos JK (1956-1961). Salvador: EDUFBA, 1999.



FIGUEIROA, Alexandre. Cinema Novo: a onda do jovem cinema e sua recepção na França. Campinas: Papirus, 2004.



GOMES, Regina. O cinema brasileiro em Portugal: contexto e análise acerca da crítica de filmes brasileiros publicada na imprensa lisboeta (1960-1999). Tese de doutorado, Universidade Nova de Lisboa, 2006.



LIMA, Luiz Costa (Org.). A literatura e o leitor: Textos de Estética da Recepção. São Paulo: Paz e Terra, 2001.



SILVEIRA, Walter da. A história do cinema vista da província. Salvador: Fundação Cultural do Estado da Bahia, 1978.



STAIGER, Janet. Perverse spectators: the practices of film reception. N.Y: New York University Press, 2000.