/ / / / / / / / / / / / / /      Anais Digitais      / / / / / / / / / / / / / /

  Voltar para a lista
 
  Título
A Pathé no Brasil: indústria cinematográfica e circulação cultural
Autor
Julio Lucchesi Moraes
Resumo Expandido
O presente artigo faz parte de pesquisa doutoral atualmente em curso no Departamento de História Econômica da Universidade de São Paulo (FFLCH-USP, 2009-2014). Apresenta também resultados de consulta a fontes primárias custodiadas em acervos internacionais, coletadas durante etapa de estágio de pesquisa junto ao Centre d'Histoire Culturelle des Sociétés Contemporaines da Universidade de Versailhes Saint-Quentin-en-Yveline (CHCSC-UVSQ, 2012-2013).

Nosso principal objetivo é compreender os métodos administrativos, organizacionais e comerciais pelos quais a gigante cinematográfica francesa Pathé-Frères conquistou o mercado brasileiro no início do século XX. Mais que um simples estudo da presença de uma firma estrangeira no país, o artigo pretende fornecer reflexões inéditas sobre o tema. Como principais fontes históricas, valeremo-nos dos documentos contábeis e de cartas comerciais custodiadas pelo Fundo Família Ferrez do Arquivo Nacional. A coleção, recentemente aberta ao público, ainda figura como um arquivo pouco explorado. Às evidências levantadas neste acervo adicionam-se informações extraídas de coleções francesas como o Jerôme Seydoux Pathé-Archive e fundos da Cinematheque Française e da Biblioteca Nacional Francesa.



Ao analisar dados da maior empresa de produção fílmica do período, pretendemos identificar alguns dos métodos de expansão de grupos culturais hegemônicos europeus sobre áreas periféricas do globo na aurora do século XX. Para além de uma leitura esquemática e/ou dualista (do tipo centro/periferia, produtor/consumidor etc.), focaremos atenções na interação entre a empresa e agentes locais, indicando um papel muito mais ativo de tais atores sociais.

Nossa análise se inicia com uma apresentação da trajetória da Pathé no período, percorrendo, igualmente, as principais reflexões já consolidadas da bibliografia específica. Avançaremos, em seguida, rumo a uma problematização das atividades internacionais da firma no período 1907-1917. Como veremos, os métodos empregados pela empresa para entrar e dominar os mercados locais variarão sobremaneira de país em país.



As evidências extraídas de documentos contábeis de arquivos franceses e brasileiros apontam para uma rede de relações bastante complexa. Queremos crer, nesse sentido, que nosso estudo contribuiu para a constituição de um novo paradigma de estudos no campo da história da cinematografia internacional, menos centrado na análise de aspectos subjetivos ou propriamente artísticos, e mais focado nos condicionantes econômicos e organizacionais dos agentes produtores e distribuidores do setor.

Bibliografia

ABEL, Richard. The red rooster scare : making cinema american (19001-1910). Berkeley: University of California Press, 1999.



BOUSQUET, Henri. Catalogues Pathé des annés 1896-1914. Paris : Henri Bousquet, 1994.



GARÇON, François. La distribuition cinématographique en France (1907-1957). Paris: CNRS, 2005.



KERMABON, Jacques (org.). Pathé: Premier Empire du Cinéma.. Paris: Éditions du Centre George Pompidou, 1994.



LE FORESTIER, Laurent. Aux sources de l'industrie du cinéma: le modèle Pathé (1905-1908). Paris: L'Harmattan, 2006.



MARIE, Michel; LE FORESTIER, Laurent (org.). La firme Pathé Frères: 1896-1914. Paris: Association française de recherche sur l'histoire du cinéma, 2004.



SOUZA, José Inácio de Melo. Imagens do passado: São Paulo e Rio de Janeiro nos primórdios do cinema. São Paulo: Editora Senac, 2004.



THOMPSON, Kristin. Exporting Entertainment: America in the World Film Market (19907-1934). Londres: British Film Institute, 1985.