/ / / / / / / / / / / / / /      Anais Digitais      / / / / / / / / / / / / / /

  Voltar para a lista
 
  Título
A "Educação Rural" de Humberto Mauro
Autor
Sheila Schvarzman
Resumo Expandido
Entre 1954 e 1959 o Instituto Nacional de Cinema Educativo (INCE), órgão do Ministério da Educação, e Cultura (MEC) realizou documentários para a Campanha Nacional de Educação Rural. A campanha, que se inicia em 1952, era parte do esforço brasileiro de adequação do trabalhador rural e da atividade agrícola à realidade do pós-guerra. E também parte da intervenção geopolítica dos EUA durante a Guerra Fria, contra possíveis seduções da propaganda comunista ou indesejáveis manifestações de insatisfação social. Para tanto, contava com ajuda econômica e tecnológica norte-americana segundo as diretivas do Ponto IV de Harry Truman, definidas em 1949.

Na Campanha, o empenho por mudanças das práticas tradicionais e da cultura dos trabalhadores era essencial. Para tanto havia um organizado processo de educação, ou reeducação, baseado na formação de comunidades e agrupamentos separados por gênero e idade, com vista à transformação dos lavradores dos cinturões verdes de regiões próximas às capitais brasileiras. Recursos audiovisuais eram parte fundamental desse processo, pois não só técnicos e professores foram enviados a cursos de formação na Bloomington University, como vários centros audiovisuais rurais foram criados e aparelhados a partir de 1956 em Curitiba, Salvador, ou em Taquara, no Rio Grande do Sul, onde se davam cursos de realização cinematográfica e de televisão.

Em 1954, dois anos depois de sua implementação no país, a Campanha recorreu ao INCE, por perceber que os filmes norte-americanos disponíveis não eram adequados às populações em foco.

Se analisarmos as características e aspirações da Campanha através da Revista da Campanha Nacional de Educação Rural ao longo dos quase dez anos de sua publicação, sua visão sobre o trabalhador ‘rurícola’, suas práticas agrícolas, os hábitos de higiene, saúde e educação, observamos um discurso recorrente sobre a ignorância, incompetência e inaptidão dessas populações, em oposição às transformações desejadas, associadas ao universo urbano e práticas culturais modernizadoras incensadas nesse período de acelerada urbanização e desenvolvimento industrial apoiado na abertura ao capital estrangeiro. Marcavam-se assim as oposições entre o mundo rural e o urbano: atraso/progresso, ignorância/saber, saúde/preguiça.

O que foi a Campanha Nacional de Educação Rural e de que forma o cinema foi para ela um instrumento privilegiado de “desenvolvimento dos níveis e padrões de vida das populações rurais, complementando de maneira efetivas as novas técnicas educativas por meio de materiais audiovisuais mais objetivos e melhor utilizados”? E, mais especificamente: como os sete filmes realizados pelo INCE e dirigidos por Humberto Mauro (Higiene Rural-Fossa Seca, Captação de água, 1954; Higiene Doméstica, Silo Trincheira e Preparo e Conservação de Alimentos, 1955; Construções Rurais, 1956 e Poços Rurais, 1959) construíram a imagem de um suposto campo nos anos 1950 no Brasil, e em que medida a ênfase e as temáticas sugeridas pela “Educação Rural” permearam também a filmografia de Mauro naquele período. Essas são algumas questões que procuramos responder nessa comunicação.

Em que medida vários filmes desse momento não são parte desse ideário que busca modernizar o campo e que Mauro, à sua maneira, vai captar e dar um desenho próprio? É possível rever Mauro não só, como se fez até hoje, através de suas raízes rurais entendidas como a ‘essência maureana’, mas também a partir desse quadro, ressignificado pela urgência em melhorar o “campo” que ele já vinha colocando em foco desde 1945 como paisagem, cenário e temática?

O diretor, cujo apego ao rural foi visto por leituras historiográficas posteriores como reminiscência e nostalgia, não teria, assim, respondido às orientações do seu tempo e às demandas do MEC, que naquele momento buscava reconstruir o campo em muitos dos seus âmbitos: do patrimônio histórico à educação rural e às endemias rurais, que são mote de outra campanha do MEC.
Bibliografia

BARREIRO, Iraíde Articulação entre desenvolvimento econômico e educação nos países latinos: educação rural no Brasil – Anos cinquenta IN Proj. História, São Paulo, (32), p. 123-142, jun. 2006, p.123 a 142



BARREIRO, Iraíde Política de educação no Campo: Para além da Alfabetização (1952-1963). São Paulo: Edunesp, 2010

CATELLI, Rosana “Ver” e “Escutar” o Brasil: cinema direto e ciências sociais na década de 1960. Anais do XXVI Simpósio Nacional de História – ANPUH • São Paulo, julho 2011

MORAES, Alice Os documentários em saúde dirigidos por Humberto Mauro no INCE. Relatório de pós-doutorado. Mimeo. UFRJ. 2009

Revista Nacional de Educação Rural. Rio de Janeiro: Companhia Nacional de Educação Rural. Setembro de 1959.

SCHVARZMAN, SHEILA - HUMBERTO MAURO E AS IMAGENS DO BRASIL. SÃO PAULO: EDUNESP, 2004

SOUZA, Claudia Moraes de - Discursos Intolerantes: O lugar da política na Educação rural e a representação do camponês analfabeto IN HISTÓRICA. Imprensa Oficial:ed.03, julho de 2005