/ / / / / / / / / / / / / /      Anais Digitais      / / / / / / / / / / / / / /

  Voltar para a lista
 
  Título
Clarice em abismo: estrutura narrativa no curta-metragem brasileiro
Autor
Ana Bárbara Ramos
Resumo Expandido
Adaptando a obra de Clarice Lispector, os filmes Clandestina Felicidade, de Beto Normal e Marcelo

Gomes, e O Ovo, de Nicole Algranti, utilizam um esquema narrativo análogo ao adotarem o procedimento de inserir dentro de suas narrativas principais outras mininarrativas. No curta de Marcelo Gomes e Beto Normal a história é estruturada em torno do conto Felicidade clandestina, trabalhando sobre o fio narrativo disposto no texto, porém com acréscimo de eventos diegéticos presentes em outras narrativas curtas da escritora, num desdobramento intertextual com a obra literária.

Desta forma, identificamos o desenvolvimento de “narrativas em segundo grau” (GENETTE, 1995, p.230) integradas em um enredo único. Já em O ovo, as pequenas narrativas são herdadas do conto original que é estruturado em torno desse procedimento de intertextualidade. “Mistura-se a esse universo uma intenção tipicamente ficcional, pelo enxerto de mininarrativas e pelo repertório meio sideral, lunático, de um futuro moldado em ficção cientifica” (GOTLIB, 2009, p. 439).

Essa técnica narrativa utilizada nos filmes citados é mais conhecida como mise en abyme e consiste em colocar uma história dentro da história, como um “enclave que guarda relação de semelhança com a obra da qual faz parte” (DÄLLENBACH, 1991, p.15). Observa-se em tais filmes que a presença desse recurso contribui para a estruturação de filmes de curta duração, no sentido de desenvolver um esquema de contar histórias baseado na contenção narrativa, característica fundamental do curta-metragem. Como assinalam Francis Vanoye e Anne Goliot-Lété (2012, p. 110):

convém levar em consideração as características específicas dessas “formas curtas”, diferenciando-as com nitidez dos longas-metragens de ficção, características devidas à sua duração, decerto, mas também às condições de produção desses filmes.



Em função da necessidade que tem o formato do cinema de curta-metragem de estruturar histórias em um tempo breve, percebemos que a estrutura em abismo se apresenta como um artificio narrativo eficaz para a construção de filmes de curta duração, contribuindo para ajustar a necessidade básica deste formato que é o de contar histórias breves. Observaremos esse dado quanto ao gênero e analisaremos como isso se dá nos curtas analisados.

Bibliografia



DÄLLENBACH, Lucien. El relato especular. Traducción Ramón Buenaventura. Madrid: Visor, 1991.

DEBS, V. F. Curta-metragem: A trajetória dos anos 80.1989. 242f. Tese (Doutorado em Cinema). Doutorado em Cinema.

ECA, Universidade de São Paulo, USP, 1989.

GENETTE, Gérard. O discurso da narrativa. 3. ed. Trad. Fernando Cabral Martins. Lisboa: Vega, 1995.

GOTLIB, Nádia Battella. Teoria do conto. 6ª ed. São Paulo: Editora Ática, 1991.

HUTCHEON, Linda. Uma teoria da adaptação. trad. André Cechinel. – Florianópolis: Ed. Da UFSC, 2011.

VANOYE, François & GOLIOT-LÉTE, Anne. Ensaios sobre análise fílmica. Tradução Marina Appenzeller; Revisão técnica Nuno Cesar P. de Abreu – 7ª ed. – Campinas, SP: Papirus, 2012 – (Série Ofício de Arte e Forma).

STAM, Robert. A literatura através do cinema: realismo, magia e a arte da adaptação/trad. Marie-Anne Kremer e Gláucia Rente Gonçalves. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2008.