/ / / / / / / / / / / / / /      Anais Digitais      / / / / / / / / / / / / / /

  Voltar para a lista
 
  Título
: Livros e Telenovela. Um estudo sobre livros e personagens
Autor
Maria Ignês carlos Magno
Resumo Expandido
Este texto é parte dos estudos desenvolvidos pelo Grupo de Pesquisa: Inovações e Rupturas na Ficção Televisiva Brasileira. Dos enfoques da pesquisa: narração, estilo audiovisual, transmidiação, um quarto é dedicado ao estudo da caracterização da personagem na ficção em geral, em especial na ficção televisiva. Partindo dos estudos de Antonio Cândido (1985. p:34/35) sobre a Personagem de Ficção e entendendo que “se o enredo existe através das personagens; as personagens vivem no enredo [...], e se no meio deles, avulta a personagem, que representa a possibilidade de adesão afetiva e intelectual do leitor, pelos mecanismos de identificação, projeção e transferência [...], interessa descobrir como isso ocorre com a personagem da telenovela, produto não estudado na referida obra. Considerando que a telenovela é um gênero de ficção de massa e parte da cultura brasileira e que as adaptações de obras literárias são constantes na história da TV brasileira como os teleteatros, as séries, as minisséries e as telenovelas, o estudo da relação entre livros e personagens na produção televisiva é pertinente na medida em que as telenovelas tem trazido com frequência o livro como parte de suas tramas. Especificamente, interessa acompanhar como esses livros entram nas histórias e apreender se essa inserção nas tramas é apenas parte dela ou estratégia para construção das personagens. Não se trata aqui de um estudo sobre adaptação literária para a telenovela, mas a introdução do livro na composição da trama e das personagens. Prática que o cinema utiliza desde os filmes de Jean-Luc Godard, por exemplo, e que hoje a telenovela vem incorporando. É nessa perspectiva que pretendo discutir a inserção do livro nas telenovelas Avenida Brasil (2012)de João Emanuel Carneiro e Amor à Vida (2013)de Walcyr Carrasco: ele é parte da trama ou estratégia para a construção de personagens? Os autores e os textos utilizados nesse momento da pesquisa; além do citado livro de Antonio Cândido, os livros Dramaturgia: a construção da personagem (2013) e Dramaturgia de Televisão, de Renata Pallottini (1998) que traçam estudos das correntes clássicas, do teatro aristotélico, da revolução brechtiana e das últimas produções do teatro de vanguarda. Ainda sobre as personagens e as etapas de sua construção para que a história seja contada, foi relevante o livro de Orhan Pamuk : O romancista ingênuo e o sentimental (2011) em especial o capítulo em que trata da personagem literária, da trama e do tempo. Television Tragédia Moderna de Raymond Williams (2003 e 2002), interessa o estudo das formas da televisão e o estudo de dramaturgos e autores que deram as bases da dramaturgia moderna. Além desses, os clássicos: A poética de Aristóteles e Morfologia do Conto Maravilhoso de Vladimir Yakovlevich Propp (1984) são referência, entre outros porque permitem uma reflexão tanto sobre a personagem como acerca das telenovelas Avenida Brasil e Amor à Vida.
Bibliografia

ARISTÓTELES. Poética. Lisboa: Imprensa Nacional Casa da Moeda, 2003.

CÂNDIDO, Antonio et alli. A Personagem de Ficção. 7ª ed. São Paulo: Perspectiva, 1985.

PAMUK, Ohan. O romancista ingênuo e o sentimental. São Paulo: Cia das Letras, 2011.

PALLOTTINI, Renata. Dramaturgia: a construção da personagem. São Paulo: 2013.

WILLIAMS, Raymond. Tragédia Moderna. São Paulo: Casac Naify, 2002.

________________. Television: Technology and Cultural Forms. Londres/Nova York: Routledge, 2003 (1974).

YAKOVLOVICH, Vladimir Propp. Morfologia do Conto Maravilhoso. RJ: Forense Universitária, 1984.