Voltar para a lista
 
  Título
O uso cinema na escola: uma mediação através da didática
Autor
José Leite dos Santos Neto
Resumo Expandido
Diante da rapidez e dinâmica de produtos midiáticos presentes no cotidiano, e considerando o caráter educativo da mídia, nos vemos diante da necessidade de pensar criticamente sobre mecanismos que possam contribuir com o trabalho pedagógico.

A educação prevê a relação com as diversas tecnologias e o educador precisa, necessariamente, refletir sobre o uso desses meios - por isso devemos considerar que a educação ocorre a todo o momento, isto é “ninguém passa dez horas sem nada aprender”, (MÉSZÁROS, 2005, p. 47), e os meios de comunicação de massa, de modo geral, exercem uma função pedagógica sobre a população. Para Fabris (2008), ao assistir um filme, independentemente do motivo que nos conduziu a ele, empreendemos uma aprendizagem.

Os meios de comunicação compõem elementos da linguagem que o sujeito deve dominar dentro e fora do espaço escolar, e que, assim como literatura, gramática e ciências, a leitura de filmes e da mídia também deve ser aprendida na escola. Concordamos com Espinal (1976), que não é possível desligar televisão ou não assistir filmes, mas sim aprender a lidar com estes meios.

Setton (2004) nos chama a atenção para “o surgimento de outros estímulos criativos em nosso meio cultural” (p.68), ou seja, as mídias presentes como forma socializadora de imagens, e nos traz uma reflexão sobre o potencial pedagógico das produções midiáticas. Para a autora, o uso do cinema como objeto pedagógico “auxilia no trabalho de contextualizar o processo educativo” (p.77).

Fantin (2007) problematiza a inserção da mídia e aparelhos midiáticos no cotidiano, propondo uma reflexão sobre a questão da alfabetização diante dessa nova gama de produtos de linguagem. Tendo em vista tal problematização, consideramos que esta ‘alfabetização’ necessita centrar-se na escola. Para Saviani (2013), a escola deve ser única e prezar pelo ensino dos conteúdos sistematizados pela humanidade, possibilitando o domínio dos diversos códigos. Nesse sentido, o domínio de recursos audiovisuais torna-se necessário para o ensino, pois estão postos na sociedade e desempenham papel educativo e formativo, devendo ser tratados na escola, que é o espaço privilegiado para o ensino.

Dessa maneira, consideramos que a inserção das mídias no âmbito escolar ocorre através da didática, que de acordo com Libâneo (1994), resulta da mediação entre as dimensões teórico-científica e a prática docente, contribuindo para a prática do ensino e favorecendo os processos de ensino e aprendizagem. Para o autor a ampliação do acesso à mídia e aos meios informacionais afetam os processos de ensino aprendizagem que, se incorporados através da didática aos modos de aprender e ensinar, potencializariam a aprendizagem bem como a utilização da mídia na sociedade.

Entende-se a didática como a mediação do ensino com recursos disponíveis, isto é, transmitir conhecimento com intencionalidade pedagógica. Visto isso, dominar o cinema e os meios de comunicação, em termos didáticos, possibilita o uso das condições metodológicas e práticas, elaborando ações direcionadas sobre os conhecimentos históricos e culturais, permitindo maior capacidade de leitura da realidade.

Sobre a prática didática para os meios de comunicação, Migliorin (2015, p. 08) nos infere “a tentativa de esboçar uma pedagogia em que a dimensão teórica e a experiência nas escolas estejam refletidas,” isto é, “o cinema traz um modo de fazer relações entre imagens, sujeitos, discursos, objetos, narrativas que transfiguram, por assim dizer, outros espaços e relações; no caso, a escola” (p.185). Isso ocorre uma vez que o trabalho com o cinema não consiste na formação de cineastas, mas sim em um instrumento que potencialize o ensino, pois, conforme Saviani (1997), o poder de influência dos meios de comunicação interfere no processo formativo do sujeito. Sendo assim, a escola deve estar atenta para mediação deste processo formativo, o que nos mobiliza a pensar em fundamentos de uma didática para os meios de comunicação.
Bibliografia

FABRIS, Eli Henn. Cinema e Educação: um caminho metodológico. Educação e Realidade, v. 33, n.1, p. 117-134, Jan/jun. 2008

FANTIN, Mônica. Alfabetização Midiática na Escola. VII Seminário “Mídia, Educação e Leitura” do 16º COLE, Campinas, 10 a 13 de julho de 2007

LIBÂNEO, José Carlos. Didática. São Paulo, Cortez, 1994

MÉSZÁROS, István. A Educação para Além do Capital. São Paulo, 2 ed. Boitempo, 2005

MIGLIORIN, Cezar. Inevitavelmente cinema: educação, política e mafuá. Rio de Janeiro, Azougue, 2015

SAVIANI, Demerval. Brasil: educação para a elite e exclusão para a maioria. Comunicação e Educação. No. 8. São Paulo: CCA/ECA/USP, Moderna, 1997

SAVIANI, Demerval. Pedagogia histórico- crítica: primeiras aproximações. 11 ed. rev. Campinas, SP: Autores Associados, 2013

SETTON, Maria da Graça Jacintho. Cinema: Instrumento reflexivo e pedagógico. In: SETTON, Maria da Graça Jacintho [Org.] A cultura da mídia na escola: ensaios sobre cinema e educação. São Paulo: Annablume: USP, 2004