Voltar para a lista
 
  Título
Experiências com vídeos transmídia na TV e no cinema
Autor
Carlos Gerbase
Coautor
Paula Jung Rocha
Resumo Expandido
Esta comunicação descreve o processo de criação e produção de peças audiovisuais transmídia ligadas ao longa-metragem “BIO” (http://filmebio.com.br/), no âmbito das transformações do campo comunicacional que se abrigam sob o rótulo de “convergência midiática”. O conceito de transmídia e suas aplicações foram estudados pelos autores entre 2013 e 2015, no âmbito do projeto “InovaTV”, com financiamento da Secretaria de Ciência, Inovação e Desenvolvimento Tecnológico do Estado do Rio Grande do Sul. Em 2016, com o apoio de bolsistas de iniciação científica da PUCRS, deverão ser realizados cinco vídeos que misturam ficção e documentário (mais um game) para serem veiculado na internet e em dispositivos móveis. Assim, teoria e prática se fundem, com reflexos positivos nas duas dimensões da pesquisa.



“Inova TV” foi um projeto de inovação e pesquisa realizado em parceria PUCRS/Governo do Estado do Rio Grande do Sul com o objetivo de desenvolver novos processos de produção audiovisual para o mercado televisivo, através de pesquisa e aproximação entre os agentes do setor. Como resultado deste projeto, foi elaborado o roteiro da série de ficção televisiva “Buraco de Minhoca”, além de um mapeamento sobre o mercado de televisão no Brasil e uma pesquisa que trata do uso de transmídia em séries de TV no mundo. A série “Buraco de Minhoca” se passa em um museu e acompanha situações dramáticas envolvendo os funcionários do Departamento de Dioramas, ameaçado de extinção. Os teasers da série, assim como suas extensões de conteúdo transmídia, gravados em 2015, estão disponíveis em: http://www.estudiotrans.com.br/buracodeminhoca/.



Em 2016, dando continuidade à pesquisa, será produzido conteúdo transmídia para o longa-metragem “BIO”, em fase de montagem. Busca-se a ampliação do universo narrativo da plataforma principal (no caso, o filme) através de conteúdos digitais especialmente criados e produzidos. A ideia básica é produzir sete pequenos vídeos, misturando ficção (retirada de trechos não utilizados na edição do filme) e entrevistas, que serão divulgados on-line na época do lançamento. Os vídeos serão baseados em temas explorados pelo longa, o que permitirá ao público uma reflexão mais profunda sobre aspectos decisivos da vida do personagem principal, contribuindo para a interpretação do que acontece no plano ficcional, criando assim uma intertextualidade cíclica em termos temporais e narrativos.



A comunicação pretende narrar como a pesquisa foi desenvolvida, desde 2013, mas a ênfase estará na criação do conteúdo transmídia do filme “BIO”, destacando as dificuldades – tanto teóricas quanto práticas – para a sua produção. Acredita-se que, além da apresentação oral (com apoio visual) da pesquisa, também poderão ser mostrados pelo menos dois dos vídeos transmídia, já concluídos mas ainda não comcomconcluídos, mas ainda não disponíveis ao público.
Bibliografia

FECHINE, Yvana (coord.). Como pensar os conteúdos transmídias na teledramaturgia brasileira? Uma proposta de abordagem a partir das telenovelas da Globo. In: VASSALO DE LOPES, Maria Immacolata (Org.). Estratégias de Transmidiação na Ficção Televisiva Brasileira. Coleção Teledramaturgia, Vol. 3. Porto Alegre: Sulina, 2013.p. 19-60.

JENKINS, Henry. Confronting the Challenges of Participatory Culture: Media Education for the 21st Century. Boston, MA: MIT Press, 2009.

JENKINS, Henry; FORD, Sam; GREEN, Joshua. Spreadable Media: Creating Value and Meaning in a Networked Culture. New York: New York University Press, 2013.

MASSAROLO, João. Narrativa transmídia:
a arte de construir mundos. In CÁNEPA, Laura; MÜLLER, Adalberto; SOUZA, Gustavo; SILVA, Marcel (org.). Estudos de Cinema e Audiovisual Socine, Vol. 1. São Paulo: Socine 2011, p. 61-75.