Voltar para a lista
 
  Título
O resíduo do humor entre épocas: Monty Python e Porta dos Fundos
Autor
Eutália Silva Ramos
Resumo Expandido
Em meio às novas tecnologias, onde a internet se tornou um ambiente propício a fácil propagação e desenvolvimento de conteúdo multifacetado, presenciamos atualmente recorrentes transformações da mídia e dos seus produtos, que reconfigurados, ressignificam elementos do cenário audiovisual. Boa parte desse movimento se manifesta no cinema, televisão e internet em novos modelos de organização, produção e circulação para conquistar o público.

Os dois grupos humorísticos deste estudo, Monty Python (1969) e Porta dos Fundos (2012), são distintos de épocas, de modos de produção e, principalmente, em sua tecnologia de circulação. No entanto, ambos fazem parte hoje de um mesmo ambiente cultural e atuam de modo análogo no site Youtube. O grupo Porta dos Fundos produz conteúdo para a web e logo em seguida passou a produzir conteúdos para televisão, cinema e teatro. Já o Monty Python teve suas primeiras produções para televisão e posteriormente para cinema, teatro e atualmente na web. Esse fenômeno de transpor conteúdos entre os suportes midiáticos da TV e internet já faz parte dos processos atuais de convergência de linguagem, estilo e formato. Ao trabalhar conceitos como “intermidialidade” (RAJEWSKY, 2005), “remediação” (BOLTER; GRUSIN, 2000), “residual” (WILLIAMS, 1979) e “desejo nostálgico” (JENKINS; FORD; GREEN, 2014) percebemos que nesse processo, as ressignificações são parte de um conjunto de valores culturais que, ao retornar ao contexto contemporâneo, compõem novos espaços e práticas midiáticas capazes de ativar a permanência de relíquias outrora parte deste cenário.

Este trabalho verifica, a partir do estudo dos esquetes, nos canais oficiais do Youtube de cada grupo humorístico, a relação e os resíduos resgatados pelo Porta dos Fundos do Monty Python, sendo pontos centrais a observar: o formato esquete pertencente ao estilo televisivo e renovado na internet, a linguagem que molda as características estéticas da mídia e o humor atuando sob diferentes modos.
Bibliografia

BOLTER, Jay David; GRUSIN, Richard. Remediation: understanding new media. Cambrigde: MIT Press, 2000.



JENKINS, Henry; FORD, Sam; GREEN, Joshua. Cultura da conexão: criando valor e significado por meio da mídia propagável. São Paulo: Aleph, 2014.



RAJEWSKY, Irina O. Intermediality, Intertextuality, and Remediation: A literary perspective on intermediality. In: Intermédialités. N. 6, p.43-64, 2005. Disponível em: http://cri.histart.umontreal.ca/cri/fr/intermedialites/p6/pdfs/p6_rajewsky_text.pdf.



WILLIAMS, Raymond. Marxismo e Literatura. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1979.