Voltar para a lista
 
  Título
Contribuição para a história do cinema em Cabo Verde
Autor
Jorge Luiz Cruz
Resumo Expandido
Apesar de muitas críticas, disputas e ações discordantes, sem dúvida, o audiovisual vem crescendo nos últimos anos em Cabo Verde, tanto através de iniciativas governamentais, quanto do esforço de pessoas interessadas no audiovisual, passando por um grande número de jovens realizadores que, ligados à música crescente no país, vem criando muitos videoclips. País insular composto por dez ilhas e que tem o português como língua oficial, mas onde se fala correntemente o crioulo, com aproximadamente meio milhão de habitantes, tem apenas uma sala de exibição regular de filmes em um Shopping na sua capital, Praia, três festivais de cinema e ações isoladas de outros espaços de exibição na Ilha de S. Vicente, como o Cineclube do Mindelo, com sessões semanais às quintas-feiras, e o Cine Mindelo, que exibe dois filmes por semana, um no sábado à noite, para o público adulto, e outro no domingo à tarde, para o público infantil.

Com a principal intenção de contribuir para a elaboração de uma história do cinema em Cabo Verde, neste trabalho, analisamos alguns documentos oficiais que tratam do audiovisual no país, desde a constituição da comissão ad hoc para controle da imprensa, rádio, televisão, teatro e cinema, de 25 de junho de 1974 até a criação da Cinemateca/Fototeca Nacional de Cabo Verde, através da portaria número 65, de 17 de dezembro de 2015. Neste panorama e a partir destes documentos, então, pretendemos discutir algumas questões relativas ao processo de constituição desta cinematografia e da sua circulação neste espaço.
Bibliografia

ALMEIDA, Mário. O cinema contemporâneo de Cabo Verde. 2013. Em https://www.academia.edu/11318352/O_Cinema_Contempor%C3%A2neo_de_Cabo_Verde.

CRUZ, Jorge. Os cinemas de Cabo Verde. Rumus, Revista científica da Universidade do Mindelo, v. 1, n. 1-2, 2014. p. 231-238.

SERRA, Paulo. O cinema em português. III Jornadas Cinema em português. Covilhã: UBI, 2010. p. 7-10.