Voltar para a lista
 
  Título
Cinema quantificado, aplicações de métodos de análise audiovisual
Autor
Roberto Tietzmann
Resumo Expandido
Tradicionalmente a análise de imagens em movimento envolveu mais interpretação e subjetividade por parte de seus praticantes do que aspectos de processamento técnico da imagem. Isto é desejável, uma vez que um dos elementos-chave da comunicação é o diálogo entre seus participantes que podem, através da análise, elucidar vínculos contextuais, culturais, históricos e narrativos entre o conteúdo observado e um panorama mais amplo. Exemplos são abundantes, como em Aumont e Marie (1993), entre outros.

Contudo, a análise de tais vínculos não representa a totalidade do que é possível interpelar de uma imagem em movimento. A ideia de um filme como uma potencial fonte de dados foi formulada por Salt (1974) a partir da contagem da duração média dos planos como um dado relevante para a análise, não considerado pelos estudos até então. Salt continua a influenciar estudos recentes por Manovich (2002) e Tsivian (2009) entre outros. Em especial em suportes digitais de imagem há conjuntos de dados latentes e acessíveis, invisíveis ao que tela apresenta ao olhar direto.

Nesta comunicação problematizamos a relação entre metodologias de análise e relatamos os resultados preliminares do projeto de pesquisa “Cinema Quantificado” em andamento na PUCRS desde agosto de 2016 com duração prevista até julho de 2017, dedicado à análise de dados extraídos a partir de filmes e conteúdos audiovisuais, pontuando suas possibilidades e limitações.

O projeto, que conta com dois bolsistas de iniciação científica, tem desenvolvido metodologias de extração de dados para análise a partir de imagens em movimento. Até o momento da redação deste resumo expandido para submissão, a pesquisa percorreu dois objetos e elaborou dois algoritmos, com a previsão de expansão destes resultados até o final do projeto. Os dois objetos são: imagens experimentais, rodadas no campus para teste das ferramentas de medição digital e uma seleção de onze curtas-metragens feitos pelas turmas do curso de cinema e audiovisual da PUCRS. Os algoritmos são executados como ações de automatização no software Adobe Photoshop, aplicadas sobre os fotogramas individuais extraídos a partir dos segmentos digitalizados. Os algoritmos permitem (a) uma síntese das principais cores usadas em um filme ou cena e (b) a avaliação da complexidade visual de um plano através de sua densidade média.

Entendemos que o potencial destes algoritmos em desenvolvimento podem (a) ajudar aspectos que se beneficiem de uma harmonia de matizes e cores com o filme, como a produção de materiais gráficos (pôsteres, folheteria) ou o tratamento de cores em pós produção. O algoritmo (b) permite avaliações sobre as transformações da imagem dentro de um plano, possibilitando comparações capazes de dar forma a novas maneiras de analisar conteúdos audiovisuais que complementem e potencializem as já consolidadas.
Bibliografia

Aumont, Jacques; Marie, Michel. Análisis Del Film. 2.Ed. Barcelona: Paidós, 1993.

Manovich, Lev. The Language Of New Media. Cambridge: Mit Press, 2002.

Salt, Barry. Statistical Style Analysis Of Motion Pictures. Film Quarterly Nº28, 13-22, 1974.

Tsivian, Yuri. Cinemetrics, part of the humanities’ cyberstructure. In Digital Tools in Media Studies: Analysis and Research: an Overview, B. Freisleben, J. Garncarz and M. Grauer (eds.), Transcript Verlag, Bielefeld, 93-100, 2009.