Voltar para a lista
 
  Título
Processos sociais da imigração nos filmes “A última estação” e “Iván"
Autor
Roberta Nabuco de Oliveira
Resumo Expandido
Partindo de uma seleção de filmes, que integram uma pesquisa de Doutorado, a proposta de comunicação apresenta uma análise comparativa de filmes que contemplam processos sociais da imigração.

“A última estação” e “Iván, de volta ao passado”, são produções da década de 2010 e abordam o regresso de um personagem imigrante à sua terra natal. Estudos demonstram que muitos imigrantes conseguem efetivamente retornar a sua terra natal e, os que não o conseguem fazê-lo, vivenciam de forma bastante intensa esse desejo. Tem-se ainda, a compreensão de que esse desejo permeia as redes de sociabilidades, que fundamenta laços familiares e são relevantes na construção de identidades. Entende-se assim, que essa noção implica diretamente em questões do nacional versus imigrante e na complexidade das formas de integração. Diante da recorrência dessa questão em relação a personagens imigrantes, sugere-se aqui, pensar que construções imaginárias podem ser suscitadas a partir dessa noção de regresso.

Em “A última estação” encontramos a narrativa de um imigrante libanês no Brasil. Neste filme de gênero ficção apresenta-se narrativas sobre a partida, a chegada, as vivências, os conflitos estabelecidos e o momento de reencontro com a sua nação de origem. No filme “Iván, de volta ao passado” encontramos a história de um imigrante ucraniano que vem para o Brasil em 1942 diante das complicações impostas pelo nazismo. É um filme de gênero documentário e que o retorno do personagem é possibilitado pelo próprio cineasta.

Na perspectiva de construções fílmicas e da variedades de representações que se inserem em um filme, entende-se que a interpretação sociológica pode nos auxiliar na identificação de referenciais acerca de questões sociais dos tempos imaginados. Elege-se para essa comparação os seguintes aspectos: a construção do personagem imigrante, a relação deste com o passado, a noção de pátria, a relação com outros personagens e, por fim, o desfecho dado ao personagem imigrante.

Considerando os diversos aspectos aqui colocados, compreende-se que os processos sociais da imigração, construídos por esses filmes, possibilitam relacionar a dimensão imaginativa a processos sociais da imigração. Entende-se que os nexos de relações sociais apresentados possibilitam relacionar a dimensão imaginativa à percepções sociais acerca de permanências e transformações que um ator imigrante pode vivenciar ao longo de um processo de integração de longa duração.
Bibliografia

GREEN, Nancy L. (2008). Tempo e estudo da assimilação. Revista Antropolíticas: Niterói, n. 25, pp. 23-47.

LESSER, Jeffrey. (2001). A negociação da identidade nacional. São Paulo: UNESP, p. 17-37.

OLIVEIRA, Lúcia L. (2002). O Brasil dos imigrantes. Rio de Janeiro: Jorge Zahar editores, 2. ed.

SORLIN, Pierre. (1985) Sociologia del cine: La apertura para la história de mañana. México: Fundo de Cultura Economica.

TRUZZI, Osvaldo. (2012). Assimilação Ressignificada: Novas Interpretações de um Velho Conceito. Dados, v. 55, n.2, pp. 517-553.