Voltar para a lista
 
  Título
Trinh T. Minh-ha: entre a prática e a teoria do documentário
Autor
Gustavo Soranz
Resumo Expandido
A produção cinematográfica de Trinh T. Minh-ha surge na esteira de um momento histórico de mudanças nos contornos da prática do cinema documentário, estimuladas por inovações tecnológicas nos suportes de registro de imagens e sons no final da década de 1960 e dos dispositivos eletrônicos de vídeo a partir da década seguinte. Tais mudanças proporcionaram diversos movimentos virtuosos de produção, revelando cineastas e filmes que contribuíram para modificar o panorama mundial desse domínio cinematográfico, assim como elevaram a atenção em relação a essa extensa produção no âmbito da crítica e dos estudos acadêmicos. No campo da reflexão neste período vimos surgir obras e autores dedicados a pensar a especificidade do cinema documentário, alçando-o desde então a uma posição destacada entre os objetos de interesse nos estudos de cinema, com maior adensamento nos trabalhos teóricos sobre esta seara fílmica a partir da década de 1980. Consideramos que Trinh T.Minh-ha sempre ocupou um espaço próprio entre a teoria e a prática cinematográficas, constituindo-se como uma presença que conjuga indistintamente ambas as atividades; uma posição polivalente, situada em um intervalo, um interstício, existente entre as polaridades típicas dos protocolos das áreas por onde transita. Em seus filmes e textos teóricos - poderíamos dizer seus ensaios audiovisuais ou escritos - notamos o movimento dialógico entre os polos, perceptível em sua teoria atuante e em sua prática reflexiva, de modo que disciplinas acadêmicas, gêneros cinematográficos e formas expressivas são provocados em seus limites e convenções.

A partir de certas publicações tomadas como marcos históricos de um movimento de consolidação da teoria do cinema documentário, podemos inserir tanto os filmes da cineasta, considerados como objetos de interesse privilegiado, como os textos teóricos, pensados como contribuições epistemológicas importantes para um momento de renovação e de aprofundamento nos estudos de cinema.

Para estabelecer um panorama histórico que nos permita identificar essa presença peculiar de Trinh T. Minh-ha entre a teoria e a prática no campo do documentário, precisamos nos concentrar na produção acadêmica aglo-saxônica. Tomaremos o livro Representing Reality (1991), livro de Bill Nichols, como um marco histórico inicial, onde o autor utiliza o filme Reassemblage (1982) para apoiar seus argumentos associados à noção de reflexividade e às críticas às estratégias de objetividade no documentário, cita Naked Spaces (1985) como contraponto para desenvolver seus argumentos relativos ao seu conceito de modo expositivo do documentário e traz o filme Surname Viet Given Name Nam (1989) para ilustrar seu raciocínio relativo aos modos complexos de representação do mundo histórico em oposição aos modelos clássicos e convencionais.

Na coletânea Theorizing Documentary (1993) essa posição polivalente de Minh-ha como cineasta e pensadora aparece mais claramente. No livro ela contribuiu com o texto “The Totalizing Quest of Meaning”. Além disso, ela é citada no texto “Jargons of authenticity (three american moments)”, de Paul Arthur, como uma “cineasta-teórica”, que propõe uma nova epistemologia para a não-ficção. Desse modo, podemos dizer que seus filmes foram objetos de análises que contribuíram para sustentar reflexões importantes para os avanços da teoria do documentário, ao mesmo tempo em que textos de sua autoria figuravam entre os trabalhos acadêmicos integrantes de um corpus teórico denso e adequado às questões epistemológicas acerca desse campo. Em outras palavras, Trinh T. Minh-ha figura ao mesmo tempo como objeto de interesse e como teórica de um movimento em direção ao aprimoramento de uma teoria própria para o cinema de não-ficção, onde, no caso da cineasta, não há uma posição que vem antes e outra que vem depois. Há simultaneamente uma atividade artística provocadora e instigante no campo do cinema, e uma prática reflexiva aguda e articulada na produção intelectual.
Bibliografia

NICHOLS, Bill. Ideology and the Image: social representation in the cinema and other media. Indiana University Press, 1981.

_____________. Representing Reality: Issues and concepts in documentary. Indiana University Press, 1991.

______________. Introdução ao documentário. Campinas, SP: Papirus, 2007.

O CINEMA DE TRINH T.MINH-HA. 2015. Caixa Cultural Rio de Janeiro. Catálogo. 139p.

RENOV, Michael. Theorizing Documentary. Nova York: Routledge, 1993.

______________. The Subject of Documentary. University of Minnesota Press, 2004.

________________. Away from Copying: The art of documentary practice. In: .PEARCE, Gail & MCLAUGHLIN, Cahal. Truth or Dare: Art & Documentary. Intellect Books, 2007. p. 13-24.

TRINH T. Minh-ha. Outside In/Inside Out. In: Questions of third cinema. PINES, Jim & WILLEMEN, Paul. (Orgs.) British Film institute, 1990.

__________________. When the Moon Waxes Red: representation, gender and cultural politics. Nova York: Routledge, 1991.