Voltar para a lista
 
  Título
CINE.AR: plataforma transmídia do cinema argentino
Autor
João Carlos Massarolo
Resumo Expandido
Na era da convergência midiática, o desenvolvimento tecnológico propiciou uma série de mudanças no modo de produção, distribuição e veiculação da produção audiovisual, possibilitando o surgimento de plataformas transmídia, estruturadas com base nos serviços de vídeo sob demanda (VOD). Essas mudanças alteram tanto o modo como as empresas de mídia operam os seus negócios quanto a fruição dos espectadores. No ambiente da cultura audiovisual sob demanda (TYRON, 2014), o público molda a sua própria programação, independente da grade das salas de cinema ou da televisão, e acessa conteúdos por plataformas distintas. As interfaces das plataformas estabelecem a comunicação entre o conteúdo e o usuário, criando as condições necessárias para a emergência da prática do binge-watching, popularmente referida no Brasil como maratona: o ato de assistir por horas seguidas um programa, com predileção por séries (MATRIX, 2014). Entre a proliferação de telas, interfaces e tecnologias de vídeo, as empresas de mídia e os órgãos de fomento à produção audiovisual de diversos países da Europa e, em especial, latino-americanos, buscam se adequar às plataformas VOD. Nos últimos anos, houve um crescimento no Brasil das plataformas VOD, administrados por empresas da área de tecnologia, como o Netflix (2011) e o Amazon Video Prime (2016), ou empresas nacionais como a Looke (2015). Segundo levantamento da Motion Picture Association América Latina (2016), existe cerca de 21 empresas provedoras no país. Apesar disso, o VOD apresenta ainda uma baixa penetração no mercado nacional, de apenas 11% na população acima de 16 anos, enquanto que a média em outros países é de 20% (MPA América Latina, 2016). Neste sentido, a plataforma transmídia CINE.AR (http://www.cine.ar), lançada em 2017, que disponibiliza a produção audiovisual apoiada pelo INCAA na íntegra para computadores, tablets, smartphones e Smart TV, entre outros dispositivos, se insere no cenário midiático atual que “envolve uma transformação tanto na forma de produzir quanto na forma de consumir os meios de comunicação” (JENKINS, 2009, p. 44). O serviço é uma plataforma OTT (over-the-top), ou seja, que se utiliza da infraestrutura da internet para funcionar em diferentes dispositivos. Para o presidente do INCAA, Alejandro Cacetta, em entrevista à revista eletrônica Haciendo Cine (2017), a plataforma “CINE.AR dará valor às telas do INCAA, com o objetivo de acompanhar a convergência tecnológica, porque falar separadamente de televisão e cinema é anacrônico”. Nesta apresentação, pretende-se analisar a plataforma transmídia do INCAA, composta por diversos canais de exibição de conteúdos do cinema argentino, disponíveis através do serviço de video sob demanda, com o objetivo de alcançar audiências remotas. A plataforma CINE.AR PLAY, desenvolvida em conjunto com ARSAT (http://satelitesarsat.com.ar/), disponibiliza o catálogo de filmes, séries e curta-metragem, enquanto a CINE.AR TV exibe filmes, curta-metragem e documentários, além de notícias sobre o cinema argentino. A plataforma CINE.AR ESTREIAS, como o próprio título indica, é um modelo de VOD transacional, no qual o usuário paga para assistir à estreia online de filmes, o mesmo valor que pagaria para assisti-lo numa sala de cinema convencional. Por fim, CINE.AR. SALAS é uma rede de cinemas em todo o país, que "forma espectadores críticos e recupera o cinema como um espaço social para o intercâmbio cultural, entre diferentes atores de uma cadeia onde o último elo é o espectador” (2017).
Bibliografia

HACIENDO CINE. El INCAA anunció el lanzamiento de CINE.AR. HACIENDO CINE Cultura + Industria, 30 mar. 2017. Disponível em: http://www.haciendocine.com.ar/content/el-incaa-anunci%C3%B3-el-lanzamiento-de-cinear Acesso em: 09 abr. 2017.



JENKINS, H. Cultura da Convergência. Tradução Susana Alexandria, 2 ed. São Paulo: Aleph, 2009.



LOTZ, A. The Paradigmatic Evolution of U.S. Television and the Emergence of Internet-Distributed Television, 2016.



MATRIX, S. The Netflix Effect: Teens, Binge Watching, and On-Demand Digital Media Trends. Jeunesse: Young People, Texts, Cultures, v. 6, n. 1, 2014.



MPA America Latina. O Impacto Econômico do Setor Audiovisual Brasileiro – América Latina (MPA-AL), 2016. Disponível em: