Voltar para a lista
 
  Título
Campo de neve, ruído branco. O segundo jogo, de Corneliu Porumboiu.
Autor
Luiz Garcia Vieira Junior
Resumo Expandido
Corneliu Porumboiu é um dos mais atuantes nomes da chamada nouvelle vague romena, que emergiu após a derrubada do ditador Nicolau Ceausescu. O diretor declara que seu cinema está interessado em retratar “personagens que normalmente não foram representados” pelo antigo regime (Porumboiu, 2009). Seu filme “O segundo jogo” (Al Doilea Joc, 2014) difere dos trabalhos anteriores, tornou-se seu primeiro documentário, realizado a partir das imagens, em VHS, de um jogo de futebol ocorrido em 1988 entre os principais times do país. Mas desta vez, o jogo tinha como assistência somente o diretor e seu pai, sendo que este último, havia sido o árbitro daquela partida de 25 anos atrás. E, a princípio, o material colhido serviria como pesquisa para uma nova ficção.



Entretanto, o dispositivo elaborado, o reemprego (Brenez, 2002) integral da gravação do jogo, exibido de forma linear e cronológica, seria o de provocar lembranças acerca do cenário do país naquela época. Mas, além de gerar uma forma de anamnese, gerou comparações com o momento atual da Romênia, além de discussões sobre a própria materialidade e forma de produção daquelas imagens e do cinema.



Esta apresentação se propõe a rastrear a elaboração do filme, um documentário experimental, intimista - expondo memórias pessoais e de familiares -, que aconteceu acidentalmente, deflagrado por imagens de um programa esportivo de televisão que rememoram um episódio da infância de Porumboiu. Na experiência, pai e filho comentam as imagens do passado. Acompanhamos com eles a revisão, reformulações e descobertas destas imagens. Durante a assistência, os dois tecem comentários, porém, a convergência de uma série de fatores – da depreciação das imagens às questões técnicas -, ofereceram um cenário onde os participantes desenvolveram uma abordagem analítica de várias camadas, não afetando apenas a eles, mas estendendo-se a nós, espectadores.



A máquina-cinema descontrola-se, as referências visuais presentes nas imagens abrem um amplo leque de leituras: enquanto arquivo (identificação de personagens, jogadores, circunstâncias do jogo, etc.), o simbólico nas imagens (o poder totalitário e seus desdobramentos no cotidiano das personagens), e, de forma mais pragmática, as opções cinematográficas adotadas: condições de produção, movimentos de câmera, enquadramentos, etc.). Enfim, a materialidade do suporte que retém, transporta e desgasta imagens, e sua capacidade de retomar e tecer novas conexões.
Bibliografia

BRENEZ, Nicole. Montage intertextuel et formes contemporaines du remploi dans le cinéma experimental. (in) Cinémas : revue d’études cinématographiques / Cinémas: Journal of Film Studies, vol. 13, n° 1–2, 2002.

CRONK, Jordan (artigo). Game Theories: Corneliu Porumboiu and the New Romanian Wake - Cinema Scope. Disponível em: .

Debate no Film Society Lincon Center após a exibição do filme. Corneliu Porumboiu Q&A | The Second Game - YouTube. Disponível em: .

Entrevista: Arsenal: “Al doilea joc - The Second Game”. Disponível em: .

PFEIFER, Moritz. Interview with Corneliu Porumboiu | East European Film Bulletin. Disponível em: .

Vídeo: The Second Game - Youtube. Disponível em: