Voltar para a lista
 
  Título
Ficção seriada e falso documentário em Community
Autor
Melissa Fontenele
Resumo Expandido
A proposta do trabalho é pensar a construção do estilo do falso documentário em episódios singulares em obras de ficção seriada da televisão contemporânea. A análise será focada na série de comédia Community (2009-2015), especialmente em três episódios: “Intermediate Documentary Filmmaking”, “Documentary Filmmaking: Redux” e “Advanced Documentary Filmmaking”, exibidos respectivamente na segunda, terceira e quarta temporadas. Em cada um, o cerne é emular a estética documental enquanto forma de impulso cômico, mas também de experimentação e multiplicidade estilística e narrativa.



O termo “episódio singulares” é uma tradução livre do que pesquisador italiano Antonio Savorelli (2010) chama de odd episodes. Tais episódios são aqueles que interrompem o fluxo padrão da série, desmontando alguns mecanismos de enunciação ou de estilo. Nesse caso, o autor aponta para a mudança do tom, do tema e até o uso de técnicas da comédia por séries do gênero dramático para criar esses episódios. Contudo, percebemos que a criação de episódios singulares não se restringe às séries dramáticas. As comédias de situação e as comédias-dramáticas também quebram o ritmo narrativo e estético em prol de uma alternância de perspectiva e de sentido, ao mesmo tempo em que mantém sua integridade em segurança.



Cabe destacar que não é possível chamar os episódios singulares de falso documentário no sentido estrito do conceito. Segundo Craig Hight (2014), falso documentário (ou mockumentary) é a obra como um todo que parece com um documentário por se apropriar de códigos e marcas do gênero, mas possui um texto ficcional. Os episódios em questão trazem como referência o falso documentário sem deixar escapar a proposta metaficcional própria da série, que por sua vez alude de modo recorrente a outros formatos, estilos e gêneros audiovisuais.



A proposta de examinar o falso documentário em Community surge de uma ideia mais ampla em desenvolvimento ao longo de artigos, cujo principal objetivo é buscar compreender o uso das formas do real pela ficção seriada contemporânea. Nesse sentido, Community é um caso notável de como as séries atuais estão passando e buscando mudanças de ordem estética, mas principalmente de ordem cultural ao tentar se adaptar aos novos modos de produzir e consumir programas.



A investigação traz como norte teórico os conceitos de efeito de real, de Roland Barthes (2004), em que ao estabelecer uma relação entre o texto e a realidade através da descrição de referenciais do mundo histórico, produz-se uma impressão de real; de Cultura das Séries, de Marcel Silva (2013), que consiste na nova maneira de fruição das obras seriadas a partir das formas narrativas, do contexto tecnológico e dos modos de consumo; além de discussões acerca de estilo audiovisual com David Bordwell (2008; 2013) e Jeremy G. Butler (2010).



Através da relação entre tais conceitos, buscaremos mostrar o quanto a comédia tem experimentado e corrido mais riscos em favor de uma maior liberdade artística, principalmente quando produzida e transmitida por canais tradicionais que também estão se adaptando as novas formas de se fazer e ver tevê.
Bibliografia

BARTHES, Roland. O rumor da língua. 2ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2004.



BORDWELL, David. Sobre a história do estilo cinematográfico. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2013.



BORDWELL, David. Figuras traçadas na luz: a encenação no cinema. Campinas: Papirus, 2008.



BUTLER, Jeremy G. Television Style. New York: Routledge, 2010.



HIGHT, Craig. Mockumentary. IN: ATTARDO, Salvatore (Org.). Encyclopedia of Humor Studies. California: SAGE Publications, 2014.



SAVORELLI, Antonio. Beyond Sitcom: New direction in american television comedy. Jeferson: MacFarland & Co., 2010.



SILVA, Marcel Vieira Barreto. Cultura das séries – forma, contexto e consumo de ficção seriada na contemporaneidade. In: XXII Compós, 2013, Bahia. Anais do XXII Encontro Anual da Compós. Bahia: UFBA, 2013.