Voltar para a lista
 
  Título
'A deusa negra.' Imaginários em torno da Africa no Brasil dos 1970.
Autor
Paula Halperin
Resumo Expandido
Em 29 de maio de 1979, a produtora brasileira oficial de filmes nacionais EMBRAFILME lançou "A deusa negra," escrita e dirigida pelo renomado cineasta e intelectual nigeriano Ola Balogun, mas filmada e lançada inteiramente no Brasil. O elenco era totalmente formado por atores negros com experiência anterior nos anos 1950 no TEN - Teatro Experimental Negro - e no projeto do cinema negro brasileiro dos anos 1970.



A deusa negra conta a história de Babatunde (Zózimo Bulbul), um nativo de Lagos que volta ao Brasil na década de 1970, procurando o ramo de sua família que ficou para trás quando seus antepassados retornaram à Nigéria depois que a escravidão brasileira foi abolida em 1888.



O filme recebeu críticas menores na imprensa brasileira. No entanto, destacou-se como "A deusa negra" examinou avidamente as origens da “negritude” brasileira e sua correlação com a África. Nesse sentido, é através da exibição de rituais de candomblé e umbanda como signos de uma potente cultura Iorubá que o filme discutiu noções de uma "brasilianidade" africana forjada em um contexto atlântico fluido.



O presente trabalho analisa como o filme funcionou como uma expressão histórica do declínio da imagem brasileira como democracia racial na década de 1970. O filme expressou uma conjuntura histórica de intensa exploração das raízes africanas e da violência intrínseca presente na escravidão. O filme de Balogun desafiou as conhecidas formas de representação dos anos 70 adotadas pelo cinema popular (também patrocinado pela EMBRAFILME) que tinham a mulata como ícone nacional, ao mesmo tempo que difundiam uma imagem relativamente conciliatória da escravidão e do processo de miscigenação.



Simultaneamente, "A deusa negra" complicou a narrativa declarada pelo regime autoritário sobre as relações diplomáticas entre o Brasil e uma África independente recente, gravitando em direção a algumas das noções avançadas pelo emergente Movimento Negro.
Bibliografia

-CARVALHO, Noel dos Santos. O cinema em negro e branco. In: SOUZA, Edileuza Penha de (org.). Negritude, cinema e educação: caminhos para implementação da Lei 10.639/03. v. 1. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2011.

-CARVALHO, Noel dos Santos. Racismo e anti-racismo no Cinema Novo. In: HAMBURGUER, Esther; SOUZA, Gustavo; MENDONÇA, Leandro; AMANCIO, Túnico (org.). Estudo de Cinema SOCINE. São Paulo: Anablume, 2008, p. 53-60.

-DIAWARA, Manthia. African Cinema. Politics and Culture. Bloomington: Indiana University Press, 1992.

-PFAFF, Françoise. Focus on African Films. Bloomington: Indiana University Press, 2004.

- GILLESPIE, Michael. Film Blackness. American Cinema and the Idea of Black Film. Durham: Duke University Press, 2016.

-RODRIGUES, João Carlos. O Negro Brasileiro e o Cinema. Rio de Janeiro: Editora Globo, 2001.

-STAM, Robert. Multiculturalismo tropical: uma história comparativa da raça na cultura e no cinema brasileiro. São Paulo: Edusp, 2008.