Voltar para a lista
 
  Título
A experimentação estética e o engajamento político de Santiago Alvarez
Autor
Tainá Carvalho Ottoni de Menezes
Resumo Expandido
O presente trabalho faz parte da pesquisa para a dissertação de mestrado, que vem sendo desenvolvida no programa PPGCINE da Universidade Federal Fluminense, Niterói, Rio de Janeiro.

A pesquisa tem por objeto a obra do documentarista, Santiago Alvarez, reconhecida pelo forte conteúdo político-propagandístico da Revolução Cubana. Alvarez coordenou e dirigiu a produção dos Noticieros ICAIC Latinoamericanos, cine-jornais que trouxeram semanalmente, durante 30 anos, as atualidades da Revolução. A obra cine-jornalística de Alvarez se destaca prontamente pela amplitude: são 600 edições dirigidas por ele, de um total de 1493 edições realizadas sob sua coordenação geral, sendo que trinta dessas edições tornaram-se documentários, muitos deles premiados nacional e internacionalmente. 

Embora os Noticieros tenham sido criados com o objetivo de agitação e propaganda ideológica da Revolução Cubana, sob os preceitos leninistas de “levar arte e educação às massas”, contribuindo para a construção de uma nova identidade nacional, alguns autores defendem o postulado de que a riqueza estético-formal da produção de Santiago Alvarez, transcende a circunstância imediata que marcou sua criação. Apontam para a grande variedade de técnicas desenvolvidas por Alvarez, ou apropriadas por ele e utilizadas de maneira atípica, envolvendo a utilização de diversos tipos de material visual e sonoro, incluindo, em alguns casos, elementos da cultura e da arte pop, que marcariam uma ousada e inovadora linguagem cinematográfica.

Nossa pesquisa parte da discussão teórica em torno das questões estético-formais elencadas acima. Entretanto, entendemos que essas constatações foram feitas, majoritariamente, a partir das análises de obras realizadas no início da carreira de Santiago Alvarez como documentarista. 

Considerando que o regime cubano passou por diversas transformações durante o período de atuação de Alvarez como diretor e coordenador dos Noticieros ICAIC Latinoamericanos, de 1960 à 1991, e que essas transformações afetaram diretamente as políticas culturais dentro da ilha, e consequentemente as orientações do ICAIC frente ao embate entre experimentação estética e engajamento político, este trabalho tem como objetivo verificar de que maneira as experimentações e inovações na linguagem cinematográfica, desenvolvidas pelo documentarista cubano, são sustentadas ao longo de sua produção.

Buscamos propor uma periodização da produção de Santiago Alvarez, identificando diferentes fases e relacionando-as com as transformações que modularam os objetivos e as exigências estatais que afetaram diretamente a política cultural da ilha. Em seguida iremos selecionar um filme que possa representar cada uma das fases identificadas da produção de Santiago Alvarez, para realizar uma análise estético-formal.

Buscaremos, a partir das análises responder às seguintes questões: 1) De que maneira as fases identificadas na produção de Santiago Alvarez se vinculam às diferentes diretrizes oriundas das transformações no regime cubano?  2) De que forma o documentarista rompe limites estéticos e formais que deveriam ser respeitados, de maneira mais ou menos acirrada, nos diferentes momentos de sua produção? 3) É possível identificar uma certa ousadia em relação experimentações formais em todas as fases, ou houve momentos de maior burocratização em termos de linguagem, que aproximaram o cinema de Santiago Alvarez à um cinema panfletário mais clássico?

Acreditamos que um estudo que contemple todo o período da produção documentária de Santiago Alvarez (mesmo que isole apenas um filme para análise, como representante de cada fase de sua produção), possa contribuir para aprofundar o debate em torno das inovações estético-formais de Santiago Alvarez, considerando a importância do documentarista cubano para o desenvolvimento de uma linguagem documental, principalmente na América Latina, mas sem cair numa possível monumentalização de sua de sua obra.
Bibliografia

BORRERO, Antonio Garcia. Cine Documental en America Latina. Ediciones Cátedra. Málaga, 2003.



BURTON, Julianne. Les Cinémas de l’Amérique Latine. Nouvelles Editions Pierre Lherminier. Paris,1998.



BUSTOS, Grabriela. La Lucha del pueblo vietnamita en la documentalurgia cubana de Santiago Alvarez. Tierra en Trance, 16 de dezembro de 2016.



DA FONSECA, Jair Tadeu. A Dramaturgia agit-pop de Santiago Alvarez. Devires. Belo Horizonte, n.1, v.1, p. 18-27, jul/dez. 2003.



LABAKI, Amir. O Olho da Revolução: O cinema urgente de Santiago Alvarez. Ed. Iluminuras. São Paulo, 1994.



MARTINS VILLAÇA, Mariana. O Instituto Cubano del Arte e Indústria Cinematográficos (ICAIC e a Política Cultural em Cuba (1959-1991). Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo, Departamento de História. São Paulo, 2006.



PARANAGUÁ, Paulo Antonio (org.). Le Cinema Cubain. Éditions du Centre Pompidou. Paris, 1990. EVORA, José Antonio. Santiago Alvarez et le documentaire.